Nunca Foi Tão Importante Chegar Ao Fundo Do Poço Como é Hoje

NUNCA FOI TÃO IMPORTANTE CHEGAR AO FUNDO DO POÇO COMO É HOJE!

Qual a importância da água em sua rotina? Uma pergunta bem simples de ser respondida, mas que dificilmente é dita e debatida por nós, já que a água é intrínseca em nosso cotidiano e a encaramos como um recurso banal, entendendo erroneamente que podemos usufruir dela quando quisermos. Por partes tal afirmativa é correta, visto que a maioria dos brasileiros residentes em grandes cidades de nosso país têm acesso à água, porém pesquisas indicam que cerca de 40 milhões não dispõem de água tratada em nosso território.

 

Para um país que detém aproximadamente 12% de toda a água doce disponível do planeta, são preocupantes tais indicadores de exclusão. Esses dados referentes à indisponibilidade de água potável para parte da população brasileira, atingindo cerca de 20% de todos cidadãos, mostram-se controversos diante da abundância de água disponível aqui no Brasil.

Visto essa situação delicada de nosso país quanto à distribuição de água potável, somada a crises hídricas, percebe-se a importância por buscas de alternativas para o acesso à água. Podemos citar como exemplo a crise hídrica mais famosa dessa última década, vivenciada pela cidade de São Paulo entre os anos de 2014 e 2016.

 

Como superar essas dificuldades?​

É a partir dessa necessidade que são criados os chamados poços, responsáveis pelo armazenamento ou captação de água para o abastecimento de residências, irrigação de lavouras, entre outras inúmeras finalidades. Usufruir de nosso tesouro subterrâneo, que segundo estudos, apresenta quantidade de água para abastecer toda a população mundial por 250 anos em apenas um aquífero, pode aparentar ser vantajoso e uma alternativa interessantíssima.​

De fato essa opção se mostra muito atrativa e estável, mas é preciso tomar cuidado, nem tudo é o que parece ser. É muito importante frisar que os poços estão propensos a contaminações por diversas situações que podem vir a enfrentar.

 

Pode-se destacar alguns tipos diferentes de poços:

      • Poço artesiano – é aquele que provém da perfuração de aquíferos artesianos, no qual a água possui pressão suficiente para fluir até a superfície. Nesse caso, tal engenharia dispensa o uso de bombas para transporte da água do subterrâneo em direção à superfície.​

      • Poço semi-artesiano – detém de características semelhantes ao poço artesiano, porém apresenta uma profundidade menor e demanda auxílio de uma bomba para trazer a água para a superfície, visto que não existe uma pressão ideal no poço para fluir esse bem naturalmente até o topo.​

      • Cisternas – feita de maneira manual, sem auxílio de brocas para perfuração, não dispõe de água naturalmente na maioria das vezes, funciona como um reservatório e é abastecido por fontes externas. Não costuma ter mais que 20 metros de profundidade.

 

Cuidados que devem ser tomados para a criação de um poço​

Para a criação de poços é necessário a autorização de órgãos responsáveis, com exceção dos poços tipo cisterna. Tais órgãos trabalham em conjunto verificando as exigências que o local a ser perfurado deve seguir, sendo uma delas identificar em seu banco de dados se existem áreas contaminadas em um raio de 500 metros.

Feito isso, é comum a obrigatoriedade por parte do proprietário do poço de fazer a análise da água de tempos em tempos para garantir a qualidade desejada de sua água, como também ter em mãos a outorga que valida o uso do poço.

 

Em situações em que as áreas no entorno da possível perfuração não foram mapeadas, é de responsabilidade do interessado na construção promover os estudos quanto ao solo e à água do lençol. Caso o solo ou a água subterrânea apresentem indicadores de contaminantes acima dos tolerados, tal local será impróprio e proibido por lei para continuar com a perfuração.

O maior problema nesse tipo de situação é que, na maioria das vezes, os poços são feitos de forma clandestina, não atendendo às restrições dos indicadores. É perceptível que não existe preocupação e ignora-se o estudo prévio ao que diz respeito à área a ser perfurada e, caso exista o estudo, ignora-se as informações colhidas. Torna-se difícil, então, identificar se determinada área é contra indicada, o que faz muitas pessoas usufruirem do poço e adquirirem algum tipo de doença.

 

Pode-se inferir que qualquer tipo de irresponsabilidade cometida por alguém que deseja criar um poço artesiano, descumprindo normas e leis, acabam por prejudicar outras pessoas que já usufruem de um determinado lençol freático.

 

A explicação para essa passagem é simples: qualquer perfuração em local indevido (provavelmente com o solo contaminado) faz com que a água de todo o reservatório natural entre em contato com o contaminante, afetando o reservatório como um todo e prejudicando milhares de pessoas.

Projetos feitos sem planejamento concreto ocasionam muitas problemáticas para as águas dos lençóis. Para a escavação de um poço é preciso ter alguns cuidados, como: estar a uma distância de no mínimo 30 metros de qualquer fossa, ter no mínimo 10 metros de profundidade e estar a uma distância de 2000 metros do mar para evitar possíveis contaminações pelo sal do mar.

Em locais que são beneficiados pelo abastecimento público de água, por meio de água encanada, o uso de poços artesianos é proibido.

 

Verificando a qualidade da água retirada do poço ​

Mesmo que a água retirada desses poços não apresente algum tipo de mudança quanto ao odor e aparência, estando inodora e cristalina, é importante apontar que ela também pode estar contaminada.​

As águas contaminadas por procedimentos indevidos podem conter nitrato, nitrito e coliformes que acabam por prejudicar a saúde de quem as ingere. Os microorganismos (bactérias) presentes podem causar sérias doenças seguidas de diarréia, náuseas e vômito. Caso esses sintomas persistam , é provável que o infectado comece a apresentar sinais de desidratação. Pode, até mesmo, em situações mais delicadas, causar hepatite A em pessoas que consomem esse tipo de água.

Já os íons são responsáveis pela intensificação da propensão do indivíduo de adquirir câncer, visto que o nitrito pode reagir com os compostos de amina presentes no organismo, formando nitrosaminas, substâncias altamente cancerígenas. Esses íons também apresentam um alto teor de gordura e de sal, que são responsáveis por ocasionar doenças relacionadas com a hipertensão.

 

Para evitar enfermidades e para ter ciência de que a água de seu poço está nas devidas condições para utilização e consumo, é aconselhável fazer uma análise de potabilidade de água periodicamente. A partir dessa análise será possível verificar se a concentração de íons em sua água corresponde ao indicado para o consumo.​

Também será possível verificar se a água possui coliformes totais e coliformes termotolerantes por meio do estudo dos parâmetros microbiológicos. Por fim, será viável analisar a turbidez e o pH da água em questão.

 

Como os solos podem ser contaminados?​

Muito foi falado sobre solos contaminados, mas você sabe o que pode exatamente contaminar um solo?

Por anos, tal assunto foi ignorado pelo homem e era pouca a importância dada para a preservação do solo. Devido a esse motivo, diversos solos são considerados contaminados por tomadas de atitudes precipitadas em tempos remotos.

Terrenos próximos aos lixões são fortes candidatos a terem o solo não recomendado, podendo intensificar os danos por deposição de lixo eletrônico junto aos demais. Locais próximos às indústrias são contra indicados também, essas que são responsáveis por descartes de produtos químicos e lixo industrial.​

chorume proveniente dos lixões (carregados de metais pesados, nitrato, nitrito, microorganismos e outros poluentes) infiltra no solo, chegando aos lençóis freáticos e causando grandes danos.

 

Lixos radioativos, ainda que apresentem uma parcela pequena de poluição do solo por seguirem um rigor de descarte (visto sua peculiaridade), são responsáveis pela poluição de solo mais prejudicial, visto que liberam radioatividade por gerações.

Em áreas rurais, os fertilizantes e agrotóxicos ganham o título de maiores vilões dos terrenos. As gigantescas lavouras são famosas pelo uso abusivo de químicos em suas plantações, posteriormente levadas até nossas mesas para o consumo. Essas substâncias utilizadas na produção de verduras e frutos são responsáveis pela contaminação do solo em âmbito rural.

Outro pecado cometido pela indústria agropecuária é o uso desenfreado dos aquíferos, acarretando um desperdício inimaginável desses reservatórios. O grande volume desse líquido é utilizado tanto na irrigação, quanto na pecuária, além de participar dos processos industriais. Estamos, então, nos referindo à “água virtual“.

Outro meio de prevenir doenças e contaminação dos poços é por meio da análise do solo em questão.​

RELACIONADOS:

Água

Sistema de Água de Reúso

SISTEMA DE ÁGUA DE REÚSO Todos sabem que a água é um bem natural muito utilizado tanto para o consumo humano, quanto nas indústrias e

LER MAIS »

Combustíveis Adulterados: Como Identificar e Proceder?

COMBUSTÍVEIS ADULTERADOS: COMO IDENTIFICAR E PROCEDER?

Em junho de 2021 ainda são presenciados casos de adulteração de combustíveis em postos do RJ e de SP. Como saber se o combustível que você está usando não está adulterado? Como proceder diante dessa situação?

Mesmo com o agravamento da pandemia em 2020, a ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis – manteve suas investigações intensificadas em relação ao comércio de combustível adulterado no país. Dessa forma, foi constatado que dos 2.434 autos de infração detectados, 15,8% comercializavam ou armazenavam o produto não conforme com a especificação. Por fim, os dados podem ser facilmente verificados no Boletim da Fiscalização do Abastecimento, para o balanço anual de 2020, publicado pelo órgão.

Com isso, é importante ter preocupação com a qualidade do produto, tanto na posição de motoristas quanto como donos de postos de combustíveis – sendo essa, uma preocupação muito pertinente. Com isso em mente, nesse texto você saberá como agir ao confirmar a comercialização de combustível adulterado e os problemas que seu consumo podem trazer para você e seu veículo.

Combustível Adulterado: Casos no Rio de Janeiro

A partir de denúncias de consumidores, postos de combustíveis podem se tornar alvo de operações da ANP e da fiscalização de órgãos estaduais. Como por exemplo, em 2017, em Niterói e Maricá, quando houve uma série de denúncias de motoristas acerca da qualidade do combustível. Consequentemente, o principal problema relatado pelos motoristas era no desempenho do motor após o abastecimento, e em alguns casos os veículos nem sequer ligavam mais.

Na época, em reportagem para o jornal O Fluminense, o fiscal Ary Bello esclareceu: “As reclamações […] são surpreendentes. Só no ano de 2017, a ANP fez mais de 150 ações na área de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e não tinha detectado nada de anormal, tudo dentro do padrão. Faremos os testes para garantir a qualidade aos consumidores. Tendo problemas, o posto é interditado e é aberto um processo administrativo”.

Por fim, os 13 postos fiscalizados não apresentaram irregularidades, mas as concessionárias registraram aumento de cerca de 40% no movimento das mesmas, por conta dos carros danificados.

Mais recentemente, em Março deste ano, foi feita uma nova ação da ANP, desta vez na Região dos Lagos e Norte Fluminense. Para isso, foi realizada uma fiscalização em 20 postos de combustíveis das regiões, sendo que, dentre as intenções, estava a averiguação se estaria ocorrendo adulteração dos combustíveis nos postos. O ocorrido teve cobertura em reportagem da Record, a qual detalhou também o aumento de denúncias referente à qualidade dos combustíveis.

Combustível Adulterado: Casos em São Paulo

Operações como a “De olho na bomba” e “Batizado” foram as operações mais recentes realizadas para fiscalizar a comercialização de combustível no estado de São Paulo. Durante a fiscalização, mais de mil postos de gasolina tiveram suas inscrições cassadas no estado, por venderem gasolina, álcool ou diesel fora das normas da ANP.

De acordo com o Boletim, mais de 116.582 litros de Etanol Hidratado foram apreendidos no estado. Em maio de 2017 foram encontrados 10,6 milhões de litros de combustível fora das condições de qualidade em uma distribuidora no Rio. Nesse sentido, os dados mostram que esse tipo de adulteração não se restringiu apenas a SP.

Além disso, um dos parâmetros que possui alto percentual de adulteração é o teor de Metanol. Ele é um solvente industrial muito utilizado no país, é mais barato do que a gasolina ou o etanol e isento de imposto nas alfândegas. Seu teor máximo permitido nos combustíveis citados é de 0,5%.

 

Perigos e Danos Causados por Uso de Combustível Adulterado

As primeiras peças que sofrem danificações por conta do combustível adulterado são os bicos injetores e as velas de ignição. Em síntese, o combustível sai da bomba do veículo, vai para o bico injetor para produzir a faísca da vela, sendo essas as partes que mais trabalham com o combustível. 

Como resultado, depois de um certo período danificando o bico e as velas, o combustível adulterado pode prejudicar a sonda da lâmina e até o catalisador do veículo. Por último, mas não menos importante, o motor também pode ficar vulnerável aos danos.

No caso da adulteração por metanol, outros danos e perigos possíveis são notados. O metanol, além de corroer o aço, é altamente tóxico e sua chama é invisível a olho nu, o que dificulta muito o controle de um incêndio causado por ele. Em 29 de maio de 2006, na Fórmula Indy, um membro da equipe de Sam Hornish Jr., piloto dos EUA, teve o corpo coberto por chamas invisíveis. Resumidamente, o combustível vazou quando o piloto tentou sair do pit-stop com a mangueira ainda presa ao carro.

Panorama da Qualidade dos Combustíveis - ANP

Desde 1998, a ANP monitora a qualidade dos combustíveis através do Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis (PMQC), que foi criado para fornecer à comunidade um panorama da qualidade. Dessa forma, eles realizam análises de combustíveis como gasolina, etanol hidratado e óleo diesel e publicam o resultado em boletins mensais. 

A partir de 2019, esse monitoramento passou a supervisionar postos revendedores, distribuidores e TRRs (transportadores-revendedores-retalhistas, que vendem o combustível e outros produtos a granel). Para conseguir monitorar de forma igualitária os estabelecimentos no país, a ANP realiza sorteio dos postos, TRRs e distribuidoras. Além disso, seleciona os laboratórios participantes do programa por alguns requisitos técnicos exigidos. 

Com isso, tais laboratórios passam por vistorias e auditorias que os qualificam para a análise e possível detecção de combustível adulterado. Por consequência, conseguem manter uma transparência com a população através da divulgação de diversos resultados de testes realizados em postos por todo o Brasil. Além disso, no documento pode-se encontrar os dados organizados inclusive por região.

O boletim da Fiscalização de Abastecimento em Notícias, citado anteriormente, tem como uma das fontes de informações o Programa de Monitoramento de Qualidade. Com isso, no ano de 2020 consta que a região Sudeste apresentou maior quantidade de autos de infração em relação a quantidade de ações de fiscalização. Além disso, o combustível mais irregular foi a gasolina, com maior adulteração no teor de etanol anidro (50,2%). 

Nos próximos tópicos se encontram alguns parâmetros a serem considerados na análise de combustível que tem demonstrado adulteração nos últimos anos. Para isso, tais parâmetros se encontram na legislação vigente para a comercialização do respectivo combustível e devem ser analisados de acordo com a metodologia exigida para que haja comparação com o limite permitido. 

Parâmetros da Análise de Gasolina

        • Aspecto Visual – indica visualmente possíveis contaminações;
      •  
        • Cor – compara à tonalidade característica da gasolina;
      •  
        • Destilação – avalia a volatilidade da gasolina; 
      •  
        • Teor de Etanol Anidro – verifica se a gasolina analisada respeita os limites de teor máximo e mínimo do álcool;
      •  
        • Metanol – o poder tóxico do metanol pode influenciar no bom rendimento da gasolina no motor em condições ideais e controlar a adulteração por parte deste parâmetro;
      •  
        • Massa Específica a 20ºC – relação entre a massa de combustível e o seu volume (quanto maior a massa específica, maior o potencial energético);
      •  
        • Infravermelho MON, RON, IAD, Teor de Benzeno e Composição – indica a concentração de compostos aromáticos, olefinas, parafinas e naftênicos (importante para o controle de emissão de compostos tóxicos).

Parâmetros da Análise de Etanol

        • Aspecto Visual;
      •  
        • Cor;
      •  
        • Massa Específica a 20º C
      •  
        • Metanol;
      •  
        • Acidez Total – representa o teor de dióxido de carbono livre, ácidos orgânicos, ácidos minerais e sais ácidos fortes, cuja hidrólise produz hidrogênio para a solução;
      •  
        • Teor Alcoólico – confere se houve adição de água ao etanol além do permitido;
      •  
        • Condutividade Elétricaa limitação máxima de condutividade permite controlar a concentração de eletrólitos no etanol(condutividade maior do que a permitida compromete a vida útil das partes mecânicas do veículo);
      •  
        • Potencial Hidrogeniônico (pH) – um pH abaixo ou acima do especificado para o etanol pode comprometer partes do veículo;
      •  
        • Teor de Água – a umidade elevada pode levar à corrosão prematura e desgaste, ocasionando um aumento na carga de detritos, que gera menor lubrificação e obstrução prematura dos filtros;
      •  
        • Enxofre Total – está diretamente relacionado com a qualidade do diesel e com sua capacidade lubrificante;
      •  
        • Cloreto e Sulfato – podem ser usados como medida de aceitabilidade dos componentes para combustível;
      •  
        • Resíduo por Evaporação – substâncias residuais que restam após a total evaporação.

Parâmetros da Análise de Óleo Diesel

        • Aspecto Visual;
      •  
        • Cor;
      •  
        • Destilação;
      •  
        • Massa Específica a 20º C;
      •  
        • Teor de Água;
      •  
        • Condutividade Elétrica;
      •  
        • Enxofre Total;
      •  
        • Ponto de Fulgor – relacionado à inflamabilidade do combustível (pode indicar contaminação por produtos de menor ponto de ebulição);
      •  
        • Cor ASTM (Mais propício para Diesel S10) – se estiver fora da especificação pode indicar degradação ou contaminação;
      •  
        • Biodiesel (Mais propício para Diesel S10) – usado para reduzir o balanço do dióxido de carbono e adquirir um caráter lubrificante, diminuindo a quantidade necessária de enxofre no combustível;
      •  
        • Contaminação Total (Mais propício para Diesel S10) – este parâmetro mede a massa dos resíduos insolúveis retidos na filtração do combustível;
      •  
        • Água e Sedimentos (Mais propício para Diesel S500) – a análise deste parâmetro tem como objetivo detectar impurezas e contaminantes sólidos presentes no diesel.

Acho que me venderam um Combustível Adulterado. O que fazer?

Por fim, se seu veículo está demonstrando sinais de mau funcionamento, realize uma Análise Química do combustível utilizado. Certamente, seguindo os padrões determinados pela ANP, a análise irá avaliar os parâmetros citados e comprovar a comercialização de combustível adulterado.

Caso esta seja comprovada, denuncie. Para isso, é importante ter em mãos a nota fiscal do abastecimento no posto e também obter um laudo dos danos causados ao veículo. Esse laudo pode ser obtido através de um mecânico ou da concessionária. Em seguida, basta registrar a denúncia formalmente pela ANP e pelo Procon.

Em relação ao veículo, é recomendado que este tenha seu tanque esvaziado e então a gasolina trocada. Um check-up geral em todas as partes do mesmo também é bem-vindo, para que se possa reparar os danos causados.

 

Gostou desse texto? Para saber um pouco mais sobre combustíveis, confira os seguintes textos do nosso blog:

Texto desenvolvido pela gestão de 2017/2016 e revisado por Ana Leticia Garrido e Raphael Gravino.

RELACIONADOS:

Sede de Qualidade: Razões para uma boa manutenção da sua água

SEDE DE QUALIDADE: RAZÕES PARA UMA BOA MANUTENÇÃO DA SUA ÁGUA

Você sabe quais são os riscos de ingerir água não potável? Como assegurar que a água que utilizamos é de qualidade e que podemos consumi-la? Continue lendo para conferir a importância da manutenção da qualidade da água e o que a mantém hábil para ser consumida.

 

O Brasil é um dos países que possui uma bacia hidrográfica gigantesca, de onde vem o abastecimento de água da população. Segundo dados do Instituto Trata Brasil94% da população brasileira tem acesso à água potável. Apesar disso, quando falamos de manutenção da qualidade da água e como ela pode se tornar imprópria para consumo, o assunto é mais delicado.

 

Qualidade da água

Toda água disponibilizada para consumo no Brasil segue um conjunto de parâmetros para que a mesma não seja maléfica para a saúde humana. Esse conjunto de parâmetros está contido na Portaria nº 2.914 do Ministério da Saúde de 12/12/2011. Nesse documento há quantidades mínimas e máximas aceitáveis de determinados indicadores para que a água analisada seja classificada como potável ou não.​

Dentre todos os parâmetros da Portaria, alguns destacam-se pela sua importância no conhecimento de suas concentrações. Os testes desses serão mais relevantes que outros, devido a gravidade das possíveis consequências. Tais referências são os coliformes termotolerantes, os coliformes totais, alguns íons, o pH, os sólidos totais dissolvidos (TDS) e a turbidez.

 

Coliformes Termotolerantes

Os coliformes termotolerantes são bactérias encontradas em homens e animais homeotérmicos, animais que possuem temperatura corporal constante. Localizam-se no intestino e somente são nocivas à saúde se encontradas fora deste órgão.​

Caso uma amostra de água contiver tais bactérias, é um indicativo de que a mesma teve contato com material orgânico ou até mesmo com fezes de outros animais.​

Dentre as bactérias existentes, a E.Coli releva-se como sendo uma das que são mais prejudiciais se ingeridas por via oral. Uma vez no estômago, essa bactéria pode causar, por exemplo, gastroenterite e outros distúrbios gastrointestinais, infecções urinárias, pneumonias e meningite.

 

Coliformes Totais

Assim como os coliformes termotolerantes, os coliformes totais também são utilizados para determinação de potabilidade. O teste para coliformes totais é menos preciso do que para as coliformes termotolerantes. Por esse motivo, os dois testes são realizados para que não se tenha dúvida da qualidade da amostra analisada.

Semelhantemente às termotolerantes, a confirmação da presença de coliformes totais em uma alíquota de água torna esta imprópria para consumo. A presença de coliformes totais podem provocar doenças de veiculação hídrica, como, febre tifóide, febre paratifóide, desinteria bacilar e cólera.

 

Íons

Os íons presentes na água são responsáveis por regular alguns fatores físicos-químicos. Estão presentes em água os íons Fluoreto, Cloreto, Nitrito, Brometo, Nitrato, Fosfato, Sulfato, Sódio, Amônio, Potássio, Cálcio e Magnésio.​

Tais substâncias interferem no potencial de eletricidade da água e fazem parte da quantidade necessária para consumo diário da nutrição humanaBeber água com um teor de sódio alto, por exemplo, pode fazer com que o corpo desidrate aos poucos devido o sódio ser osmoticamente ativo.​

Em regiões do interior como sítios ou fazendas onde utiliza-se agrotóxicos, a concentração de nitrito e nitrato no solo pode fazer com que a água fique contaminada. Ingerir grandes quantidades desses dois íons diariamente pode provocar, a longo prazo, câncer de estômago e, em crianças menores do que 6 meses, a “síndrome do bebê azul”.

 

pH

O pH (potencial hidrogeniônico) mede a concentração de íons hidrônio em algum meio, no nosso caso a água. Dentre todos os testes realizados para determinar se a água é própria ou não para consumo, o de pH seria o que tem maior margem para adequar-se às normas.​

Podendo variar de 6,0 até 9,5, e a escala original variando de 0 até 14, sendo 0 a 6,9 ácido, 7 neutro e de 7,1 a 14 básico. O que significa que a cada 1 unidade de pH, a concentração de hidrogênio é 10 vezes maior ou menor dependendo da variação, sendo positiva ou negativa.

Beber uma água com pH fora da faixa aceitável é motivo de discussão até os dias atuais. Médicos dizem que o ideal é beber uma água que esteja com pH alcalino, no limite da Portaria nº 2.914, algo em torno de 9,5, pelo fato de, com o passar dos anos, o corpo vai tornando-se mais ácido e isso prejudica certas funções corporais e, consequentemente, a saúde do indivíduo.

 

Sólidos Totais Dissolvidos (TDS)

O teste de TDS mede a concentração de minerais na amostra. O motivo para esse teste ser relevante perante aos demais é que, dependendo do valor da concentração, a condutividade elétrica e a tensão superficial podem ser alteradas. Se o valor em ppm (partes por milhão) for igual ou menor do que 1000, a concentração das partículas dissolvidas é considerada satisfatória.

Beber uma água com TDS alto ou baixo pode ser prejudicial à saúde pelo fato de, como já citado anteriormente, a condutividade elétrica e a tensão superficial estarem fora dos valores padrão. Isso interfere na transmissão de impulsos nervosos, consequentemente na realização de movimentos e na atividade cerebral, e na osmorregulação corporal, o que pode causar desidratação quando a água passar nos capilares sanguíneos.

 

Turbidez

A turbidez da água é uma importante propriedade para determinar se a água é potável ou não. Esse teste está relacionado a absorção e reflexão da luz. Dependendo da quantidade, do formato e do tamanho de partículas sólidas em suspensão, pode-se formar colóides e estes interferirem na propagação da luz pelo meio aquoso.

Com todas essas variáveis, foi determinado uma medição matemática para classificar como potável ou não uma amostra a ser analisada. O NTU (Nephelometric Turbidity Unit, em português, Unidade Nefelométrica de Turbidez) é a medida utilizada para o controle da qualidade. Caso o teste aponte uma quantidade menor ou igual a 5 NTU, pode-se considerar o resultado satisfatório.

Ingerir água com valor acima de 5 NTU é prejudicial a saúde. Especialistas dizem que é quase certo de existirem microorganismos patogênicos e estes ficam “protegidos” pela turbidez da água, para que assim possam conseguir sobreviver e proliferar. Tais microrganismos são protozoários ou bactérias que causam problemas à saúde humana e a “proteção” é ocasionada pela presença de matéria orgânica que proporciona o desenvolvimento. 

 

Ingestão de água não potável e as suas consequências

E o que acontece se ingerirmos água não potável?

Por passar por mananciais contendo efluentes que comprometem a qualidade da água, o que exige investimentos em ETA’s (Estações de Tratamento de água), a água pode tornar-se não potável ao chegar até nós. As instalações hidráulico-sanitárias em má condição de conservação prejudicam as características da água, tornando-a imprópria para o consumo, visto que afetam os parâmetros de qualidade indicados.​

Os meios de chegada da água até a sua torneira ou bebedouro precisam de grandes cuidados para que o seu consumo seja proveitoso. Quando as caixas d’água ficam destampadas ou surgem os conhecidos “limos”, os parâmetros são alterados e os riscos de alteração da água aumentam. Além disso, encanamentos corroídos ou desgastados também são focos de proliferação de microorganismos que podem afetar a qualidade da água.​

As consequências da ingestão de água não potável são doenças já conhecidas, como hepatite A, amebíase e as demais já citadas anteriormente no texto. Todas têm em comum a forma de como são contraídas: ingestão de água contaminada.

 

E como evitar a ingestão de água não potável?

Uma das maneiras de evitar que as consequências da ingestão de água potável chegue até você é por meio de uma análise da água . Através da análise de potabilidade de água, os parâmetros citados são conferidos e comparados com a margem das taxas estabelecida pela Portaria nº 2.914.​

O ideal é que a análise, realizada em laboratório, seja feita de 6 em 6 mesesDessa maneira, o risco de (re)contaminação diminui, sendo então seu consumo de maior garantia.

Uma das maneiras de evitar a ingestão de água não potável é certificar que a mesma está apta para o consumo. Buscar saber a procedência da água e os teores de íons presentes é de suma importância.

 

Por exemplo, os teores de nitrato na água nem sempre são bem definidos. Mesmo não sendo prejudicial em poucas quantidades, o íon nitrato também está presente em outros alimentos ingeridos. O seu consumo em excesso acarreta na conversão deste em nitrito, outro íon considerado agravante para a saúde humana, principalmente para grávidas e crianças.

​Com o conhecimento adquirido nesta leitura, pode-se perceber que há inúmeras razões para ter cuidado com a água que está bebendo. As doenças citadas, em sua maioria, são graves e podem levar à consequências mais sérias se diagnosticadas tardiamente.​

Por isso, sempre que surgir dúvidas, procure fazer uma análise de água de qualidade para que sua saúde seja preservada, já que este é o maior bem que possuímos. ​

Para saber mais sobre o assunto, ​confira outros textos do nosso blog:​

RELACIONADOS:

Água

Sistema de Água de Reúso

SISTEMA DE ÁGUA DE REÚSO Todos sabem que a água é um bem natural muito utilizado tanto para o consumo humano, quanto nas indústrias e

LER MAIS »

4 Motivos Indispensáveis Para Contratar Uma Empresa Júnior

4 MOTIVOS INDISPENSÁVEIS PARA CONTRATAR UMA EMPRESA JÚNIOR

Sabe quando você precisa contratar uma empresa para realizar algum serviço e tem dificuldade em achar alguma que combine qualidade e preço justo? Imagine se além desses dois fatores, você contratasse uma empresa que fomentasse o ensino acadêmico? Parece loucura?

 

Solucionando essas 3 necessidades, cria-se um movimento há cerca de 50 anos capaz de complementar o ensino oferecido nas Universidades. Inserindo nesse ambiente a vivência empresarial e capacitando futuros profissionais, o Movimento Empresa Júnior tem importante papel em nossa sociedade. É a partir dele que universitários, ainda que jovens cursando apenas sua faculdade, já se encontram preparados e com mais experiência para entrar no mercado de trabalho.

O MEJ, assim como é comumente chamado em nosso meio, começou sua história no ano de 1967 na Europa, mais precisamente na França, chegando ao Brasil em meados da década de 80. Com cerca de 29 anos já existente no Brasil, tal movimento já foi capaz de grandes mudanças em nosso território, contando com 444 Empresas Juniores atuantes no Brasil no ano de 2016, mais de 15 mil empresários juniores e movimentando cerca de 11,1 milhões de reais por meio de 4900 projetos comerciais.

Para saber mais sobre esse Movimento que é capaz de cruzar fronteiras por todo o mundo, veja nosso texto: MEJ: 10 Anos em 1 – Viva Essa Insanidade.

E onde a P&Q Engenharia Jr. entra nessa história? Nossa Empresa é uma pequena engrenagem com papel fundamental e responsável, assim como muitas outras espalhadas por todo o Brasil, por fazer funcionar essa grande máquina chamada MEJ. Com 7 anos de vivência, a P&Q vem desenvolvendo os alunos da Universidade Federal Fluminense, realizando projetos de consultoria e serviços de análises.

Contribuindo para a evolução da Universidade por meio de eventos acadêmicos que contam com Palestras e Workshops (Semana P&Q), como também participando ativamente do mercado local por meio da realização de 38 projetos em 2016 e 33 projetos fechados até o momento em 2017, nossa Empresa já impactou a vida de muitas pessoas no estado do Rio de Janeiro.

 

O que é esse algo a mais?

Todos sabemos da necessidade do sentimento de confiança que o cliente deve ter ao contratar uma empresa para realizar um determinado serviço. Realizar projetos não é uma tarefa fácil, é necessário competência e dedicação vindas da equipe responsável por produzi-lo, a fim de garantir um produto final de qualidade e que satisfaça o cliente.

A partir de um projeto fechado, algumas responsabilidades intrínsecas à ele surgem e devem ser tratadas com muita atenção e afinco, como a pontualidade, a acabativa, busca pela excelência e foco no cliente. Juntando todas essas importantes observações, percebe-se que a realização de um projeto é uma via de mão dupla.

Agora, imagine um mundo “ideal” onde o contratado e o contratante detém dos mesmos valores e ambições ao visualizar e idealizar um projeto. Tal cenário é muito comum no mundo do MEJ, já que estamos sempre pondo em prova a confiança que nossos clientes depositam em nós. Essa confiança é fundamental para que possamos evoluir academicamente, já que nossa experiência é adquirida a partir da realização de projetos e sem eles não seria possível nos especializarmos.

 

Orientação dos Professores de nossa Faculdade ​

Agregando mais valor aos nossos projetos, pode-se pontuar a participação imprescindível de profissionais extremamente gabaritados e reconhecidos no âmbito de pesquisas acadêmicas, os professores universitários. Todos os projetos produzidos por nós estudantes passam pela revisão de um professor orientador responsável por averiguar a qualidade e dar o aval necessário para a finalização do serviço.

Visto o cuidado destinado à confecção do projeto e as diversas revisões feitas no mesmo, tanto por parte dos próprios alunos, como por partes dos professores responsáveis, percebe-se que a nossa preocupação é entregar não apenas um serviço, mas essencialmente uma solução.

O professor orientador atua em conjunto com a equipe ao longo de diversas etapas do projeto, começando sua participação no momento de identificação da metodologia que será utilizada no andamento do mesmo. É por meio dessa minuciosa escolha de metodologia que torna-se possível alcançar alguns preciosismos que poderiam passar despercebidos pela equipe.

Com a metodologia efetivamente escolhida, é iniciado o momento de elaborar a precificação e criação do prazo de um projeto e, como não podia ser diferente, o professor orientador também nos auxilia nessa fase, dando suporte durante as escolhas. Ao longo da prática, o professor é responsável por supervisionar todo o processo, garantindo que tudo está sendo feito da maneira correta, garantindo que tudo está sendo feito de acordo com as normas escolhidas previamente.

A voz da sabedoria e a experiência são características inerentes aos nossos orientadores, além de apresentarem diversas capacitações (mestrado, doutorado), eles também já detém grande vivência na área.

Entende-se, portanto, a gigantesca importância do professor orientador, desde a identificação precisa da necessidade de nossos clientes, até o término do projeto, por meio de sua assinatura.

 

O impacto causado pelas Empresas Juniores na Sociedade

No mercado local:

As Empresas Juniores estão inseridas em diversas áreas de atuação, contemplando serviços que vão desde gestão empresarial até serviços de análise. Desta forma, é inegável e incalculável o impacto que os juniores têm na economia. Considerando que só no Brasil há 444 EJs, e que no cenário mundial elas estão implantadas em 18 países, de acordo com dados de 2016 da European Confederation of Junior Enterprises, a proporção geradas por este movimento é ainda mais grandioso.

Outro ponto relevante a ser abordado é o fato de as Empresas Juniores conseguirem oferecer serviços de qualidade para pequenas, médias e grandes Empresas e, até mesmo, produtores independentes (caseiros). Por sermos uma empresa com fins educacionais e não lucrativos, temos a oportunidade de oferecer aos nossos clientes um serviço de qualidade com um preço super acessível.

Em meio a crise e a necessidade de se adaptar à conjuntura atual, empresas seniores contratam juniores para encontrar uma solução proveitosa e viável, e continuar crescendo no seu meio. Confira aqui uma reportagem do programa Pequenas Empresas e Grandes Negócios, sobre uma empresa de churros que contou com a ajuda de uma EJ da Unicamp para inovar no modo de vender seus produtos.

No Meio Acadêmico:

As EJ’s (Empresas Juniores) vão além de prestadoras de serviços para o Mercado, nosso movimento tem também como objetivo formar jovens melhores por meio da vivência empresarial e experiência com a realização de projetos. O MEJ é capaz de mudar de maneira relevante a vida de muitos estudantes, transformando muitos alunos em pessoas mais éticas, colaborativas e empenhadas em mudar o Brasil. Os alunos que passam por ele tornam-se mais empenhados com a vida acadêmica e criam fortes vínculos com suas respectivas Faculdades.

Outro ponto crucial no impacto causado por uma EJ no meio acadêmico é a evolução da estrutura da Universidade ou do centro de Ensino por meio de investimentos adquiridos pela realização dos projetos. Por exemplo, caso um laboratório venha a fazer um serviço em conjunto com uma EJ, o fruto desse trabalho muitas vezes é revertido em investimentos para o próprio laboratório. É visível que, consequentemente, a Universidade também irá evoluir tendo seus laboratórios sendo aprimorados constantemente. Quem mais ganha com esse cenário são os alunos, já que a partir disso criam-se novas oportunidades de pesquisas para eles.

 

O impacto causado pelas Empresas Juniores na Sociedade

O movimento Empresa Júnior é totalmente focado em promover, de acordo com os seus pilares, um país melhor para o futuro, focando na ética, na colaboração, na educação e na competitividade (de forma saudável). Com este foco, o movimento conseguiu que em 6 de abril de 2016 fosse sancionada a lei 13.267, que regulamenta as EJ’s do país, garantindo o ofício dessas unidades em território nacional. Além disso, a lei assegura às empresas a orientação dos professores na realização de projetos, a ajuda das instituições universitárias em que a empresa está inserida e o investimento dos recursos gerados pela própria EJ na atividade-fim e em seus membros.

 

Gostou do texto? Quer saber mais sobre o dia-a-dia da nossa empresa?

Confira aqui: Coisas Inusitadas que Acontecem na P&Q

 

RELACIONADOS:

Gestão Ambiental: O Que É e Qual a Importância

GESTÃO AMBIENTAL: O QUE É E QUAL A IMPORTÂNCIA

Vocês já imaginaram o quanto aquela fábrica do refrigerante que você ama consome de água por litro de produção? Então, imagine. Agora pensa na quantidade dessa água que é descartada! É aí que a gestão ambiental se encaixa.

 

Quando a produção industrial começou, lá na Inglaterra, no que hoje consideramos a 1ª fase da revolução industrial, começou também uma nova relação humano-natureza. Inicialmente, foi vista como facilidade para uma produção maior, mas com o passar dos anos começou-se a reparar nas consequências. Principalmente ambientais.

Mas foi somente no século XX que começaram a ser discutidos os impactos da indústria no meio ambiente. Isso devido ao fato dos recursos estarem sendo utilizados em proporções muito maiores do que o planeta suporta.

 

Limites do crescimento econômico baseado no crescente uso dos recursos naturais

Na década de 70, cientistas do MIT publicaram um estudo sobre a pressão gerada em cima do planeta por causa do crescimento populacional exacerbado. Este estudo despertou a consciência ecológica mundial, e levou à I Conferência Mundial Sobre Meio Ambiente ou Conferência de Estocolmo, em 1972.

Essa conferência levou os países a planejarem legislações e órgãos ambientais. E então foram agregados às produções custos do controle ambiental. Para as empresas essas legislações eram vistas como empecilhos e obstáculos para a produção.

Mas a partir de 1990 a imagem mudou. As organizações passaram a ter imagem e credibilidade, perante a sociedade, em cima da qualidade ambiental da sua produção.

A Conferência de Estocolmo foi o pontapé inicial para um debate mundial sobre o meio ambiente. Esses debates foram realizados em encontros globais, onde ficaram assinados alguns acordosOs objetivos gerais desses acordos eram combate ao desperdício de recursos não-renováveis, de energia, de matérias primas escassas e combate à pobreza.

Um setor da indústria muito importante é o da Química, estima-se que faturou, mundialmente, US$3,7 trilhões em 2008. Sendo, ainda, a responsável pelo fornecimento de insumos para vários outros ramos industriais.

 

Indústria Química

Essa indústria teve origem na Alemanha, sendo seguida pela Inglaterra. Ela é a responsável por fornecer matérias-primas e produtos para os outros setores produtivos, desempenhando papel essencial na economia.​

A indústria química tem como objetivo oferecer soluções e melhorias dos processos e qualidade de produtos.

Ela é responsável pela produção de cloro, resinas, amônia, gases industriais, fibras sintéticas, aditivos, catalisadores e vários outros produtos indispensáveis para a vida como a conhecemos hoje. No geral, insumos para outros setores industriais.

A indústria química brasileira teve um faturamento de US$122 bilhões em 2008, de acordo com a ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química, ficando em 9º lugar em faturamento mundial. Sendo ainda, responsável pela movimentação de ¼ do PIB Industrial do país.

 

Principais problemas ambientais vividos na atualidade

As atividades industriais, assim como a forma que vivemos tem sobrecarregado o planeta. Alguns dos principais problemas que hoje encontramos é:

      • Destruição da Camada de Ozônio: os gases CFCs lançados para a atmosfera se decompõe e o Cl liberado reage com a o ozônio, reduzindo a quantidade de O3.​
      • Efeito Estufa: causado pelo lançamento de gases na atmosfera, principalmente CO­2, que intensificam o isolamento térmico (que já é natural), do planeta;​
      • Perda de biodiversidade, extinção de espécies.

Para controlar e identificar formas de desgastar menos o meio ambiente com as ações da indústria e das empresas foi desenvolvida a Gestão Ambiental.

 

Gestão Ambiental

Gestão ambiental consiste no controle e diminuição dos impactos ao meio ambiente, a partir das atividades realizadas por organizações.​

Existem as instituições de normatização, como ISO – International Organization for Standardization – , a EMAS – Eco-Management and Audit Scheme – a nível europeu e a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas – no Brasil, sendo pioneira na definição e metodologias sobre sustentabilidade urbana. Todas elas têm como objetivo agir como auxiliadoras na estruturação e facilitação do controle sobre sua organização.

A série ISO 14000 estabelece as diretrizes de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) e fornece ferramentas, normatizando práticas sustentáveis e políticas ambientais. Seu objetivo é uma metodização do sistema de gestão ambiental de forma a atuar em uma busca contínua de melhoria da relação indústria-meio ambiente.

O Sistema de Gestão Ambiental

O Sistema de Gestão Ambiental tem como objetivo promover uma maior compreensão, organização e planejamento das ações de uma empresa ou indústria, sobre os impactos dos seus produtos e serviços no meio ambiente.

Uma das principais vantagens de se atuar por um sistema de gestão ambiental é a imagem que o mercado e a sociedade tem da empresa ou indústria, possibilitando melhores e mais oportunidades de negócios. Você pode ler um pouco mais sobre Marketing Verde aqui!

 

Ferramentas de Gestão Ambiental

Existem, hoje, duas principais ferramentas quando se fala de gestão ambiental. A P+L (produção mais limpa) e a Ecodesign.

A P+L é uma alternativa de prevenção, cujos objetivos são: a redução do uso de recursos naturais; prevenção da poluição do ar, água e solo; redução dos resíduos gerados nos processos.

A partir do gerenciamento dos processos e, quando necessário, reformulação das políticas internas e de relação com o meio ambiente, se obtém uma maior eficiência dos processos. A implementação de uma produção mais limpa não exige da instituição novas tecnologias, ela pode atuar utilizando-se do que já tem.

Ecodesign é o planejamento e atuação de forma a pensar no meio ambiente em todas as ações. É a escolha de materiais menos poluentes, não tóxicos, que exijam menos energia na produção; é também a qualidade e durabilidade dos seus produtos; a possibilidade de troca de peças ao invés da inutilização de todo o produto, em caso de falha.

Assim como a P+L, ela é uma forma de promover o desenvolvimento sustentável, trocando atuais processos por outros que firam menos o meio ambiente.

 

Indústria Química no Brasil

Em território nacional temos indústrias químicas brasileiras, como:​

      • Braskem: fornece matérias primas para os segmentos de borracha, adesivos, agronegócios e construção.​

E várias outras, além de indústrias de origem estrangeira, como a Bayer e a Basf.

Atualmente, a maioria das empresas possui a Sustentabilidade como um dos princípios que guiam suas ações. Assim como presença social, atuando em projetos para a vizinhança urbana no qual está inserida.

A Bayer, por exemplo, possui projetos de educação, ciência e cultura para as áreas em volta de seus pólos industriais.

Uma forma de promover uma gestão de seus resíduos é o que acontece no pólo industrial da Bayer em Belford Roxo, que possui diversas empresas envolvidas em atividades complementares em um mesmo espaço.

O pólo de Belford Roxo, possui, ainda, uma estação de tratamento de água que capta do rio adjacente para a produção, e depois trata a água novamente e à repõe ao meio ambiente.

Outra, empresa importante, a Braskem, de 2012 à 2014, por exemplo, utilizou 1,8 bilhões de litros de água de reuso em alguns de seus processos.

A Coca-Cola, apesar de não ser classificada como indústria química, também investe muito em projetos e iniciativas ambientais. Por exemplo, em questão de consumo de água, ela alcançou a neutralidade, ou seja, toda a água consumida em seus processos é compensada a partir de projetos de restauração e conservação de bacias hidrográficas.

A gestão ambiental é muito importante na indústria química, reflexo disso é que o setor químico detinha cerca de 12% de todas as certificações ISO 14001 em 2005, ficando atrás apenas do setor automobilístico.

​A preocupação ambiental se tornou latente nas últimas décadas, e a gestão ambiental se tornou uma peça fundamental. Tanto ecológica quanto econômica, uma vez que o próprio mercado consumidor exige esse lado amigo do ambiente por parte das empresas e indústrias.​

Se você possui uma empresa, que tal ficar ligado nessa questão ambiental também?!

Para ler um pouco mais sobre gestão ambiental e gestão de resíduos acesse:​

Venha para o lado verde da força: PGRS

 

RELACIONADOS:

Como Crescer Em Uma Empresa: Organograma e Plano de Carreira

COMO CRESCER EM UMA EMPRESA: ORGANOGRAMA E PLANO DE CARREIRA

O princípio de todas as relações numa empresa está em seu organograma. Entenda como as companhias estão organizadas e defina seu plano de carreira!

Frequentemente quando lemos matérias ou reportagens sobre alguma grande empresa do mercado mundial pensamos: Quais são seus métodos de gerenciamento? Como uma organização desse porte e com tantas personalidades diferentes pode manter-se estruturada e focada em um objetivo comum? O que faz tal empresa ter destaque e sucesso no seu ramo por tanto tempo?​

Bem, o princípio de toda essa relação entre empresa e funcionários está na estruturação do organograma empresarial, seguido da capacidade de seus profissionais e das metas e desejos que estes colocam nas suas carreiras para satisfação pessoal e profissional.

 

Navegação Rápida

O Começo de Tudo

Ao iniciar o processo de estruturação de uma empresa, o ponto principal para que haja prosperidade no futuro é que ela possua uma boa organização interna. Com a finalidade da comunicação ser eficiente e rápida é necessário ter como base um organograma, pois será ele quem irá moldar toda a infraestrutura da parte administrativa da instituição. Pelo fato de a estrutura ser baseada na missão e nos valores da empresa, cada organograma é específico e único, porém sempre com um dos modelos servindo como base.

 

A Estrutura ​

Como já dito antes, há vários modelos de organogramas para serem usados, mas tem um modelo geral que prevalece nas grandes corporações mundialmente: o modelo tradicional. Composto por uma estrutura vertical e tendo um modelo funcional, essa forma de estruturação é a que mais agrada os altos cargos pela sua simplicidade, rigidez e previsibilidade.​

Por ter uma estrutura vertical, quanto mais acima e maior a representação do cargo, maior será a responsabilidade de gerência de quem ocupa tal posição e, também, maior será o número de subordinados à sua pessoa. O poder de decisão é centralizado na cúpula (parte superior e limitada do organograma) e as atividades dos funcionários são pré-determinadas e sem muita alternância.​

Aliada a essa estrutura vertical, tem-se o modelo funcional. Tal modelo divide a empresa em departamentos de forma clássica, por exemplo, setor de RH (Recursos Humanos), de Marketing, Financeiro, entre muitos outros necessários para um bom rendimento no geral.

Uma consequência dessa forma de estruturação apresentada é a praticidade da comunicação interna, algo muito importante para a boa produtividade satisfação dos funcionários. Assim estruturada, a mensagem não passará por mais de 3 níveis de hierarquia até chegar à diretoria ou a níveis mais baixos. Isso faz com que não haja deturpação da mensagem original, o que afeta não só as atitudes a serem tomadas, em caso de uma ordem da diretoria, como o ambiente em si, em caso de um pedido de um determinado setor à presidência.

Com as medidas tomadas pela estrutura vertical para maior praticidade das ordens dadas de cima para baixo, há uma dificuldade de ser realizadas mudanças de baixo para cima. Por conta dos níveis a serem seguidos de burocracia, caso alguns dos participantes dos níveis baixos queiram propor mudanças, a dificuldade instaurada torna trabalhoso melhorar práticas, muitas vezes, vistas no dia a dia do funcionário.

 

Como Fazer Acontecer

Após ter todo o esqueleto da instituição montado, atitudes são fundamentais para que tudo se interligue e seja executado como planejado. Um dos pontos essenciais é a contratação de bons profissionais. Após a década de 1980 com a adoção do Toyotismo pelas grandes empresas, a qualidade dos produtos tornou-se algo de grande importância. Conhecer o mercado e saber do que ele necessita faz com que os custos sejam extremamente direcionados e menores possíveis, sobrando assim, receita para os outros custos primordiais.

Outro fator indispensável é a capacitação de seus funcionários de uma forma geral. A produtividade só fica em um crescente constante se os mesmos estão engajados e satisfeitos com o ambiente empresarial. Treiná-los em diversas áreas fazem com que tenham uma visão global e, caso queiram trocar de departamentos, saberão como agir no novo setor sem comprometer o rendimento da empresa.​

Tendo uma instituição dividida da forma como explicitado acima, infere-se que as atividades serão repetitivas, altamente especializadas em seus setores e os funcionários terão um plano de carreira já pré-determinado caso queiram almejar algo maior dentro da empresa com o passar do tempo.

 

O Preparo

Para melhor conciliar os objetivos do empregado e das empresas temos os planos de carreiras que são utilizados para direcionar o funcionário onde ele deseja estar nos próximos anos. Com isso, competências que serão aprimoradas nos funcionários serão fornecidas por meio de treinamentos financiados pela empresa.​

De início, temos dois tipos de planos de carreira: aquele que a própria pessoa estipula para seu futuro e o que a empresa pré-determina para seu funcionário, fazendo com que o mesmo atenda determinadas expectativas.​

Em uma época que a geração quer uma carreira em Y, onde uma maior flexibilidade na vida pessoal e profissional seja alcançada, o plano de carreira que vem direto da empresa é cada vez menos utilizado. Em contrapartida, o funcionário, hoje, planeja cada vez mais onde quer estar nos próximos anos.

 

Metas de um Plano

A vontade de prosperar e ter sucesso na vida pessoal e profissional não é algo somente de alguns, mas sim da maioria. É pensando nisso que as empresas desenvolvem planos de carreiras para seus funcionários tendo em vista vários motivos.​

Alguns deles são para manter todos engajados e com esperanças de ascender profissionalmente, o que torna o ambiente de trabalho satisfatório e, consequentemente, mais produtivo; capacitar e desenvolver membros para que não haja estagnação; e estabelecer metas pessoais e departamentais com intuito alavancar a empresa e as carreiras de seus funcionários.

 

Esse tipo de plano de carreira é único para cada empresa e feito de forma generalista. Por ser baseado nos valores e na missão da instituição, não há uma especificidade para cada membro, o que pode fazer alguns funcionários não se adaptarem ou concordarem com tal plano, mesmo após passarem pela entrevista de emprego. Por esse motivo é muito importante esclarecer o máximo possível para o entrevistador para que não haja má interpretação sobre sua pessoa ou de suas metas pessoais.​

Porém, a individualidade que o mercado de hoje proporciona, provoca a vontade de estabelecermos nossas próprias metas e obsessões. É por esse simples fato que muitos funcionários pedem demissão e ingressam em outras empresas, tendo em vista que nessas poderão colocar em prática o plano que montaram para suas carreiras. Esse sentimento de uma certa liberdade tem um grande peso para as escolhas dos bons profissionais ultimamente e onde eles atuarão.

 

Projetando seu Futuro

Para quem almeja ser um profissional reconhecido em sua área de atuação e satisfeito com a vida pessoal, traçar metas e estabelecer objetivos é algo essencial.​

A competição natural existente no mercado de trabalho quase que obriga os profissionais a projetarem um futuro a curto, médio e longo prazo. Isso faz criar mais de um cenário projetado, em diferentes intervalos de tempo, e que, no final, irão se complementar para juntos formarem o ápice de sua carreira.​

Questionamentos são de fundamental importância para montar o plano de carreira, pois somente respondendo-os é que saberá se o plano criado é possível de ser executado ou não e, também, se encaixa na realidade de vida da pessoa.

 

Com tudo em mãos e com determinação e foco, traça-se um plano de carreira que será iniciado logo na entrevista de emprego. Explicitar tudo o que tem a dizer e explicar minuciosamente todas as vontades fazem muita diferença no recrutamento. Saber como comportar-se durante a conversação pode ser determinante na permanência de um funcionário dentro da empresa. Saber o básico de um funcionamento empresarial, como comportar-se diante situações diversas, podem ser aprendidos no ambiente universitário.

Muitos membros do setor de RH de grandes empresas quando palestram, dizem que a vivência em Empresas Juniorescomo a P&Q Engenharia Jr, é algo que facilita e favorece muito o recrutamento de novos funcionários. Por já saberem como uma empresa opera, o organograma básico e noções de vivência empresarial, faz com que o recrutamento desse perfil de estagiário seja muito mais fácil e menos trabalhoso, economizando tempo e custos durante a Fase Trainee. E como o ditado diz: Tempo é dinheiro, ainda mais nos dias de hoje.

Como já dito anteriormente, a comunicação de uma forma geral é fundamental. Quantos mais contatos uma pessoa tem, maiores são as chances de a mesma ser bem-sucedida. Se aliado a um plano de carreira bem montado a pessoa tiver uma grande quantidade de contatos e souber comunicar-se bem, certamente ela irá arranjar um bom emprego no futuro. Isso, claro, se ela for aplicada, determinada e qualificada para tal.

profissional do futuro, que se forma hoje, não procura mais a segurança de uma multinacional, mas a realização pessoal que está nos riscos tomados. Portanto é imprescindível que desde o início da procura do emprego o plano pessoal já esteja sendo preparado. O preparo especulado para os profissionais de 2020 fogem da maneira usual, o próximo estágio é alavancar habilidades e competências que a inteligência artificial não seja capaz de realizar. Neste artigo, as competências mostradas são de maneiras muito mais humanas e criativas diferenciando-se do antigo profissional técnico e especializado.

Para Saber Mais

Depois de tanta informação, respire e relaxe. Agora, gostou do texto? Lembre-se que na situação que o país se encontra no momento, muitos tentam ingressar num estágio de qualidade, porém poucos possuem diferencial para conquistar a vaga (se você é universitário e conhece estudantes do 8º período em diante, saberá o que estou dizendo).​

Para ampliar ainda mais seu conhecimento, clique e leia mais sobre 3 métodos essenciais para Gestão Empresarial e de Projetos.

​Ou se preferir, clique e conheça um pouco mais desse universo maluco, porém fantástico que é o MEJ.

 

RELACIONADOS:

O Mundo Em Constante Movimento: Conheça Os Mais Variados Tipos de Combustíveis!

O MUNDO EM CONSTANTE MOVIMENTO: CONHEÇA OS MAIS VARIADOS TIPOS DE COMBUSTÍVEIS!

Todos sabemos que o mundo moderno é movido por descobertas e invenções, mais dinâmicas e bem elaboradas, de maneira a nos impressionar cada vez mais. Sabemos também que, para o acontecimento de tais descobertas e invenções, é necessário algo responsável pela propulsão: o combustível.​

Mas você conhece os tipos de combustíveis que movem todo esse progresso e que tornam capazes as evoluções científicas e tecnológicas?

 

Um pouco de História:

Acredita-se que o pioneiro no uso de combustível foi o Homo erectus, utilizando de gravetos para combustão, há cerca de dois milhões de anos atrás. É constatado, portanto, que a fonte de energia mais antiga a ser utilizada teria sido a madeira. A partir dessa conjuntura, por muito tempo, o uso de plantas e gorduras animais foram os principais combustíveis para os seres humanos.

​Em tempos da Primeira Revolução Industrial, com a necessidade de fontes de energia capazes de suprir toda a demanda produtiva nunca antes vista, a história dos combustíveis sofreu uma importante mudança. O uso de carvão mineral se tornou imprescindível para a evolução do mercado e a produção em larga escala.

​Já no século XIX, iniciava-se a exploração comercial de poços de óleo nos Estados Unidos, sendo esse óleo destilado e utilizado como produtos para substituir o óleo de baleia, por exemplo. Esse Petróleo que sofria destilação era utilizado então para fins de iluminação, na maioria das vezes. Tal acontecimento marcava o início da era do Petróleo.​

Com a criação de automóveis movidos por motores a gasolina e diesel, derivados até então desprezados no ato da destilação começaram a ser utilizados para tal finalidade. Chegando ao século XX, onde a popularização dos automóveis já era nítida, os combustíveis fósseis ocuparam um posto de importância absurdo, ao ponto de serem necessários em escala internacional.​

Em meados da década de 1940, com o desenvolvimento da física, foi possível a evolução da tecnologia nuclear. Sabe-se que essa fonte de energia é extremamente poderosa, visto sua capacidade energética. No entanto, até os dias atuais é discutida a periculosidade de tal energia com relação à questões ambientais.​

Diante de tantos acontecimentos históricos, entende-se que a busca por combustíveis mais eficientes e a importância dos próprios são a fórmula do desenvolvimento para o Mundo atual.

 

O que é um combustível?

Combustível é uma substância que, ao reagir com um comburente, libera energia, na maioria das vezes em forma de calor. Tal reação é denominada como combustão.​

    • São exemplos de combustíveis: gasolina, álcool, diesel, madeira, carvão.​
    • São exemplos de comburentes: na maioria dos casos o oxigênio, mas existem situações isoladas onde outra substância pode vir a ser um comburente, como por exemplo, o cloro.

 

Classificação dos Combustíveis:

Combustíveis não renováveis:

Os combustíveis não renováveis são aqueles providos da natureza e com quantidade limitada na mesma.

Os combustíveis fósseis são os maiores exemplos de combustíveis não renováveis.

 

Combustíveis renováveis:

Os combustíveis renováveis são aqueles, assim como os não renováveis, providos da natureza, porém são reabastecidos pela mesma.

O etanol e a biomassa (responsável pelos biocombustíveis) são grandes exemplos de combustíveis renováveis.

 

Combustíveis Fósseis:

O petróleo, responsável pela produção da maioria dos combustíveis fósseis, é constituído por uma mistura de compostos químicos orgânicos. A partir dessa constituição, caso a mistura apresente um número maior de moléculas com cadeias pequenas, consequentemente com menos carbonos, seu estado físico provavelmente será gasoso.​

Caso a mistura apresente um número maior de moléculas grandes, seu estado será líquido. É importante frisar que para todas essas situações, a condição de temperatura e pressão devem ser normais.​

Visto como o petróleo se comporta, entende-se que sua mistura apresenta centenas de compostos químicos diferentes, tornando a separação em componentes puros quase que impossível. Sua separação é feita por frações de acordo com a faixa de ebulição dos compostos presentes em determinadas mistura.​

Por exemplo, em uma temperatura de ebulição até 40 graus, encontram-se composições entre a faixa de um carbono apenas, até quatro carbonos. Tal fração é utilizada para gás combustível para uso doméstico.​

Já em uma temperatura entre 40 graus até 175, encontram-se composições entre a faixa de cinco carbonos até dez. Para essa fração, é dado o nome de gasolina e como destino, combustíveis de automóveis.

​O Diesel pode ser dividido em duas classes: gasóleo leve e gasóleo pesado. O gasóleo leve apresenta uma temperatura de ebulição entre 235 graus até 305 graus, tendo composições entre a faixa de treze até dezessete carbonos. Já o gasóleo pesado, apresenta uma faixa de dezoito à vinte e cinco carbonos em sua mistura, com temperatura de ebulição variando entre 305 graus até 400 graus. Ambos são utilizados como combustível para meios de transporte.​

Além das frações responsáveis pelo GLP, pela gasolina e pelo Diesel, ainda existem outras que dão origem ao querosene (175 graus até 235 graus) com composições entre a faixa de onze e doze carbonos, lubrificantes (405 graus até 510 graus) e os resíduos (acima de 510 graus).​

O Carvão Mineral é outro combustível fóssil muito comum, sua formação se deve pelo soterramento de plantas e sua deposição por um vasto tempo abaixo de diversas camadas terrestres.

 

Combustíveis Fósseis:

Biomassa é tudo aquilo de origem orgânica, seja vegetal ou animal. Bagaço de cana de açúcar, madeira e óleos vegetais são exemplos de Biomassa utilizados para gerar energia por meio da combustão.​

Os biocombustíveis mais comuns são: o biogás, o biodiesel e o bioálcool.​

O biogás consiste em uma mistura gasosa composta por metano, gás carbônico e gás sulfídrico em menor quantidade. A produção desse biogás ocorre em qualquer local com ausência de gás oxigênio, sendo esse local isolado ou em aterros sanitários. Tal fonte de energia provém de dejetos e rejeitos de gado, como também de resíduos agrícolas ou certos resíduos industriais (bagaços, efluentes e gorduras).​

O biodiesel é resultado da reação química de lipídios, óleos e gorduras, seja de origem animal ou vegetal, com determinado álcool, na presença de um catalisador. Tal reação tem como resultado diferentes tipos de ésteres, que são o biodiesel propriamente dito.​

O bioálcool provém de todos os processos de obtenção de etanol, sendo a matéria prima para tal procedimento a celulose, tendo como exemplo o milho e a cana de açúcar. A hidrólise é muito utilizada para quebrar as estruturas moleculares da biomassa utilizada, a fim de transformá-la em açúcares solúveis e passíveis de se tornarem etanol, com o auxílio de microrganismos.​

A utilização correta da Biomassa não interfere na composição média da atmosfera, uma vez que sua renovação se dá a partir do ciclo do carbono. Nesse sentido, a queima dos compostos orgânicos tem como produto o gás carbônico para a atmosfera. Os seres fotossintetizantes capturam tal gás para a realização da fotossíntese, essencial no processo de produção de alimentos (glicose): : 6H2O + 6CO2 → 6O2 +C6H12O6.

Gostou do texto? Deixe seu comentário dizendo o que achou de nosso conteúdo! Caso esteja sentindo falta de algo, nos avise para que possamos melhorar ainda mais sua experiência! Continue navegando em nosso Blog para conhecer mais temas interessantes como esse!​

RELACIONADOS:

Inovações na Engenharia Que Vão te Surpreender

INOVAÇÕES NA ENGENHARIA QUE VÃO TE SURPREENDER

Inovação. Criatividade. Originalidade. Estes são alguns ingredientes fundamentais para uma criação de sucesso. Veja os incríveis resultados das mais recentes criações da engenharia e como elas afetam a mim, a você e o mundo!

 

“Se, a princípio, a ideia não é absurda, então não há esperança para ela.” Esta frase, de Albert Einstein, diz muito sobre as grandes ideias revolucionárias dos últimos tempos. Quando poderíamos imaginar que hoje teríamos smartphones que reconhecem até a voz de seu proprietário, telas sensíveis ao toque, robôs que limpam a casa e até mesmo a própria internet? Acredite: muita gente já imaginou algumas dessas ideias.

Na segundo filme da série “De volta para o Futuro”, da década de 90 – que em parte retrata como seria o ano de 2015, diversas “previsões” reais do futuro foram feitas. Comandos de voz, cinema 3D e videoconferências são alguns exemplos dessas inconscientes previsões. Isso nos mostra como, às vezes, a diferença entre uma ideia supostamente bizarra e impossível e um produto extraordinário é alguém que diga: “ok, vamos tentar fazer isso”. As inovações da engenharia apresentadas a seguir representam, com certeza, uma atitude revolucionária de alguém (ou alguns).

 

Navegação Rápida

O Mundo Mágico da Impressão 3D ​

impressão 3D já tomou conta da China, dos Estados Unidos e agora também está presente no Brasil. Com grandes aplicações na engenharia, especialmente na civil, esta ferramenta permite agilizar processos e reduzir custos de produção. Imagine um bolo com muitas camadas, sendo criado pedaço por pedaço: é desta forma que o objeto de interesse é impresso na máquina, que lê um arquivo *.STL e executa os comandos.

 

O Modus Operandi da Impressora

Mas como funciona essa tal impressora? Como já sabemos, a máquina reproduz um objeto tridimensional a partir de camadas sucessivas do material utilizado. Este material pode ser em papellíquido e outras tantas variações. As camadas – que correspondem às seções transversais do objeto geralmente simulado em CAD, portanto, são sobrepostas e fundidas para formar o objeto. O processo, dependendo do tamanho e complexidade do objeto, pode demorar desde minutos até horas.

 

As principais tecnologias na fabricação aditiva – no caso, a Impressão 3D é um exemplo deste tipo de processo – são: fusão a laser, fundição a vácuo e moldagem por injeçãoOpa, complicou! Traduzindo: na fusão a laser, pós metálicos são fundidos em objetos tridimensionais a partir da energia laser concentrada. Essa, inclusive, é uma tecnologia mais recente e com larga aplicabilidade na indústria médica, engenharia eletrônica e aeroespacial.

Na modalidade de fundição a vácuo, produz-se protótipos de alta qualidade em resina de poliuretano que imitam a aparência de polímeros. O nylon também pode ser usado! (Sim, aquele das cordas do violão). Nesse caso, matrizes de cera são criadas pela impressora. Já na moldagem por injeção, as máquinas injetoras limitam-se a produzir peças de até 12 gramas em moldes de resina.

 

Aplicações na Engenharia

Mas onde exatamente essa tecnologia pode ser usada na engenharia? Na área automotiva e aeroespacial, a aplicabilidade é enorme devido a necessidade de agilizar processos (a impressão 3D é muito mais rápida do que as tradicionais moldagens e usinagens). Já pensou em imprimir um carro inteirinho? Em breve isso pode ser uma realidade. E o que mais poderia ser feito com essa impressora?

 

Celulares. Não, não o celular o que você conhece. CELULARES, em caixa alta! Imagine um celular personalizado só pra você. Moldado do jeito que você quer. Feito – no caso, impresso – com a sua personalidade. Não é demais? A Google e a 3D Systems fecharam uma parceria para trabalhar nessa ideia, chamada Projeto ARA. Aliás, não seria tão surpreendente se, após esse primeiro projeto ser executado, outros produtos eletrônicos de consumo fossem feitos da mesma forma.

Vamos citar só mais uma aplicação, que com certeza vai te deixar transtornadoComida impressa. Hoje, por mais legal (e bizarro) que isso possa parecer, já existem impressoras capazes de imprimir chocolates e massas, por exemplo. Imagine produzir alimentos com conteúdo nutricional previamente planejado, ou até mesmo permitir que astronautas produzam sua própria comida no espaço? Observação: não tente isso em casa. Comer papel A4 não parece bom. Conheça aqui um restaurante que imprime comidas de verdade.

 

Realidade Aumentada & Realidade Virtual (is this the real life?)

Visualizar um cômodo pronto antes mesmo do início de uma obra. Parece bem útil, não é? As realidades aumentada e virtual (calma, a gente já vai explicar a diferença entre elas) são os aparatos necessários para prover esse avanço. Outra possibilidade é treinar funcionários em situações de risco e oferecer uma experiência bem próxima da realidade para os trabalhadores.

Realidade aumentada. Realidade virtual. “Ué, mas é realidade mesmo ou é fantasia?” Com certeza Freddy Mercury escreveu esse trecho de Bohemian Rhapsody depois de ter um insight sobre este assunto. A tecnologia mexe com a cabeça de todos nós. Mas vamos ao que interessa: o que é realidade aumentada? E a virtual? O que difere uma da outra? Como isso é feito? Descubra aqui e agora, no próximo parágrafo.

 

Realidade Aumentada

Realidade Aumentada (vamos chamar aqui de RA) é uma técnica utilizada pra unir o mundo real ao virtual, ou seja, inserir objetos virtuais no ambiente físico em tempo real e mostrada ao usuário pelo auxílio de algum dispositivo tecnológico. Isso pode ser feito pela utilização de uma webcam, marcador ou até mesmo um smartphone.

Funciona assim: o software processa a imagem captada por uma câmera ligada ao computador. Daí, o software identifica o posicionamento do símbolo, e em seguida, disponibiliza um objeto virtual, que é a realidade aumentada, com base neste posicionamento. Não entendeu? Você provavelmente conhece o Snapchat e Instagram, certo? Os filtros divertidos que esses apps disponibilizam consistem num grande exemplo de RA.

 

Realidade Virtual

Ok, agora entendemos a Realidade Aumentada (RA). Mas e a Realidade Virtual? A RV é uma tecnologia de interface avançada entre um usuário e um sistema operacional. O objetivo, agora, é que a sensação máxima de realidade seja passada ao usuário, fazendo-o a tratar essa interação como uma de suas realidades. Assim, a interação é feita em tempo real e através de equipamentos e técnicas que estimulam o sentimento de presença do usuário na realidade virtual – e a presença da RV na realidade do usuário.

A RV é capaz de produzir efeitos bastante marcantes. Por isso, é importante utilizá-la com sabedoria. Como falamos logo acima, usar a RA para fazer demonstrações para funcionários poderia ser interessante, sim. Mas é preciso dosar e saber aplicar pois, caso a Realidade Virtual acabe sendo interpretada como a própria realidade pro usuário, pode ser muito perigoso. Tem que ter cuidado pra não transformar num episódio de Black Mirror! (leia sobre o tal episódio aqui – CONTÉM SPOILERS)

 

Tecnologia de 5 nanômetros: sim, é possível

Uma parceria da IBM, da Samsung e da fabricante de semicondutores Globalfoundries, desenvolveu o primeiro processo em escala industrial que deverá viabilizar a construção de processadores com transitores de silício de 5 nanômetros (nm). Essa tecnologia prova, finalmente, que esses chips são possíveis de existir e logo devem chegar ao mercado.​

A atual tecnologia de ponta disponível é de 10 nanômetros, e a tecnologia com 5nm permite um aumento de desempenho de 40% com o mesmo gasto de energia ou 75% de economia de energia em desempenho correspondente. Esses novos chips quando viabilizados serão capazes de atuar em inteligência artificialrealidade virtual e dispositivos móveis, auxiliando na aceleração do aparelho. Além disso, as baterias de celulares poderão durar de 2 a 3 vezes mais!

 

Pulso de luz: a energia concentrada

Miguel Alonso e Kevin Parker, ambos da Universidade de Rochester nos EUA, desenvolveram um novo padrão de feixe de luz, caracterizado como um pulso em forma de agulha. A técnica desenvolvida faz com que a onda colapse para dentro, formando um feixe incrivelmente intenso e fino antes que a onda volte a se expandir. Detalhe: essa ação dura um nanossegundo – ou até menos. Outro fato notável é que a técnica não precisa necessariamente ser aplicada em luz.​

Como isso funciona? Segundo Kevin Parker, pode ser feito com uma onda de luz na faixa do visível, com ultra-som, radar, sonar – vai funcionar para todas elas. O nome foi batizado como “pulso agulha” por conta da grande concentração de energia.​

Outras aplicações interessantes, além da óptica e o ultra-som, são a microscopia, radar e sonar. No campo industrial, poderá ser beneficiada qualquer forma de processamento de materiais a laser que envolva colocar a maior intensidade de luz possível em um determinado ponto, como nos processos de corte ou soldagem.​

​Gostou dessas inovações? Se interessou por algum assunto? Então, lançamos uma proposta a você:

Aceite o desafio: seja hoje o melhor que você pode ser. Seja a revolução que você quer ver no mundo. 🙂

 

RELACIONADOS:

Ciência e Tecnologia

Inovações na Engenharia Que Vão te Surpreender

INOVAÇÕES NA ENGENHARIA QUE VÃO TE SURPREENDER Inovação. Criatividade. Originalidade. Estes são alguns ingredientes fundamentais para uma criação de sucesso. Veja os incríveis resultados das

LER MAIS »

As Principais Competências Que o Mercado Deseja

AS PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS QUE O MERCADO DESEJA

Você já sabe que as coisas estão difíceis, você pensa lá na frente, em quando se formar e já sente aquele calafrio. “O que eu vou fazer?” “Como vou conseguir um emprego?” Não precisamos nem ir tão na frente, um pouco antes de pensar no que fazer com o diploma na mão você já vai estar pensando: “Como eu vou conseguir um estágio?”

 

Ter um diploma é importante, mas não é o suficiente para entrar no mercado de trabalho, você precisa ter algo a mais. Algo a mais que o candidato que está do seu lado na hora de uma dinâmica de grupo da empresa X.

 

O que é esse algo a mais?

O termo competências com um significado além de apenas capacidade é antigo, mas recentemente vem ganhando força no meio empresarial e acadêmico, como no ENEM. Mas o que são essas competências?​

As competências representam uma forma de compreender as “capacidades humanas e os processos do seu desenvolvimento”. 

Umas das formas mais básicas de separar as competências é a partir da classificação em técnicas ou em comportamentais.

 

Competências técnicas

As chamadas competências técnicas são as especificações que você tem, em termos de formação educacional e carreira profissional.

​São elas:

      • Formação acadêmica: todo o conhecimento adquirido durante sua formação acadêmica, seja ela graduação, pós graduação, técnico. Ou seja, seu nível de escolaridade;
      • Treinamentos: todo e qualquer treinamento que você tenha recebido sobre temas pertinentes ao desenvolvimento de sua função em determinada empresa;
      • Conhecimentos técnicos: é o conjunto de conhecimentos que você adquiriu e que são fundamentais para você atuar no cargo, eles podem ter sido adquiridos por meio de cursos, treinamentos, ou mesmo em experiências profissionais passadas.

Também se encaixam em competências técnicas cursos de línguas estrangeiras. Tem se tornado cada vez mais importante saber outros idiomas, além do nativo.

​Dominar as ferramentas que serão necessárias no desenvolvimento pleno das suas atividades no cargo são, também, competências técnicas. Tais como matrizes de análises e métodos de gerenciamento de processos, que você pode conferir um pouco mais aqui.

​Um outro diferencial é estar familiarizado com ferramentas digitais. Por exemplo, saber usar o Excel de forma efetiva é um diferencial, mas saber usar o VBA para aprimorar suas planilhas é um salto ainda maior.

 

Nós, inseridos no mundo acadêmico como estudantes graduandos da UFF, temos como adquirir esses conhecimentos técnicos através:

      • das próprias aulas dos nosso currículos, assim como das disciplinas optativas que temos disponíveis;livros;
      • cursos e treinamentos oferecidos pelas diversas instituições inseridas no meio acadêmico e também pela própria universidade;
      • leituras extracurriculares, pois não devemos nos limitar ao que nos é passado em sala de aula;

e em várias outras oportunidades.

​Na própria faculdade entramos em contato com diversos softwares, por exemplo:

      • Maple: ótimo software para matemática analítica, que pode ser usado desde resolução de integrais até plotagem de gráficos 3D;
      • Comsol: software de simulação e modelagem de sistemas variados;
      • Origin: para plotagem de gráficos;
      • SolidWorks: para modelagem de peças em 3D.​

Mas já passou o tempo em que ter os conhecimentos técnicos necessários era suficiente, assim como ficou no passado o momento que o Inglês era o grande diferencial. Agora, as empresas buscam outros diferenciais, as chamadas competências comportamentais.

 

Competências Comportamentais

As competências comportamentais são as inerentes à própria pessoa, atreladas à sua personalidade. Mas também são características adquiridas e treinadas. É o seu conjunto de características que formam sua personalidade.​

As competências comportamentais podem ser divididas em: intelectuais, comunicativas, sociais, comportamentais e organizacionais.​

E dentro desses nichos de competências comportamentais estão suas principais características.​

Algumas características são mais valorizadas por uma empresa, enquanto outras são por outras organizações. Mas existem algumas que são recorrentes na lista das mais valorizadas de diferentes instituições.​

Vamos ver, o que são cada um desses tipos de competências comportamentais, e algumas das principais características.​

Intelectuais: são as relacionadas à resolução de problemas, de forma rápida e eficiente, e também à gestão de conhecimento.

      • capacidade analítica e estratégica;

      • senso de urgência: ser capaz de identificar, nos momentos que tudo parece urgente, o que é de fato urgente. Sendo assim, capaz de direcionar o foco;

      • agilidade para tomada de decisões.

 

São as principais características que auxiliam na resolução de problemas complexos, competência muito avaliada por diversas empresas.

Comunicativas: relacionadas à forma como você se expressa perante todos os com quem se envolve, desde equipe até clientes.

      • comunicação com subordinados, equipe, chefes, clientes, fornecedores, apoiadores, entre outros;

      • negociação: a arte da comunicação na sua maior sagacidade e sutileza;

      • marketing pessoal: sua capacidade de vender seu peixe, lembrando que menos, muitas vezes é mais.​

Sociais: dizem respeito ao seu relacionamento com as pessoas com quem convive:​

      • bom humor: um ambiente de trabalho descontraído, sem deixar de lado a seriedade, é importante para manter um ritmo constante de trabalho;

      • trabalho em equipe: ao entrar em uma empresa você não está sozinho, há diversas pessoas ao seu redor, como por exemplo, uma equipe. É necessário saber trabalhar com outras pessoas de forma eficaz;

      • relacionamento dentro da empresa.​

de Comportamento: relacionam-se com a forma como você se porta dentro da empresa e com a imagem que passa:

 

    • ética e moral;

    • capacidade de se reinventar: o mercado de trabalho, e a conjuntura econômica está em constante mudança, o que requer do profissional uma capacidade de mudança enorme;

    • busca por aperfeiçoamento;

    • resiliência, adaptabilidade e flexibilidade: ser capaz de superar os desafios;

    • espírito empreendedor e visão de dono: ser capaz de ver nas mudanças, e inclusive nos momentos de dificuldade, as oportunidades, requer também criatividade;

    • protagonismo: compreender o que é o protagonismo pode ser um pouco traiçoeiro. O protagonismo é a habilidade de não se contentar com o jeito como as coisas estão, não esperar apenas que outros pensem em soluções e resolvam problemas. Coloque-se também no papel de solucionador e não tenha medo de procurar e propor respostas. Mas não confunda com “ignorar” a equipe e trabalhar individualmente. 

Organizacionais: é a competência relacionada com sua capacidade de organizar equipes, e processos, mas também de situar-se perante as conjunturas sócio-econômicas e políticas do momento que estiver vivendo.​

      • foco no resultado;

      • liderança;

      • gerenciamento de tempo e recursos: quanto melhor você gerencia seu tempo, mais tempo você tem;

      • visão sistêmica: ter uma visão geral de todo o processo facilita a gestão de equipes e de pessoas envolvidas nos procedimentos e projetos.

Não devemos focar apenas nas competências comportamentais, tampouco apenas nas técnicas. O nosso objetivo para nos adequarmos ao mercado é agregarmos o máximo de competências que pudermos, técnicas e comportamentais.​

Nós vimos como adquirimos as competências técnicas, na faculdade por exemplo, mas e como podemos desenvolver as nossas competências comportamentais?

Desenvolvendo e treinando nossas competências comportamentais

A base para nos desenvolvermos é nos conhecermos. Por isso é fundamental que você desenvolva a capacidade de se avaliar.​

Mas você não precisa fazer isso sozinho. Você pode contar com toda uma equipe disposta a te ajudar. As Empresas Juniores são ótimos meios de você ter o primeiro contato com o mercado de trabalho, com as expectativas e deveres de um posto.​

Ao fazer parte de uma Empresa Júnior você tem a oportunidade de gerenciar projetos, conquistando uma maturidade profissional, além de experiência em gerenciamento de tempo, recursos e pessoas.

É um momento onde você estará desenvolvendo e crescendo ao máximo em relação às suas capacidades de comunicação e negociação, pois você estará entrando em contato com clientes, parceiros, patrocinadores, professores e outras pessoas. Além disso você estará aumentando sua rede de contatos com profissionais, empresas, professores da sua universidade além de toda uma rede de juniores e pós-juniores.​

Você sai da sua zona de conforto e é obrigado a pensar fora da caixinha, adquirindo um pensamento analítico e se vendo confrontado o tempo todo por desafios cada vez maiores, que somente te fazem crescer. Você se vê dentro de uma empresa, começa a ganhar visão de mercado e desenvolver um espírito empreendedor.​

Você ainda tem a oportunidade de coaching, potencializando ainda mais seu crescimento como profissional e como pessoa.​

As oportunidades que uma Empresa Júnior oferece não estão somente no espectro das competências comportamentais. Dentro de uma Empresa Júnior, você tem a oportunidade de desenvolver as competências técnicas enquanto participa dos projetos, e também através de treinamentos e workshops.​

Mas essas oportunidades não são restritas aos membros. A P&Q organiza anualmente a Semana P&Q que conta com diversas palestras, workshops e minicursos para todos os gostos. Confira a programação AQUI. E inscreva-se AQUI.​

Fazer parte do Movimento Empresa Júnior (MEJ) possibilita um desenvolvimento diferenciado, além do que uma vivência acadêmica pura pode oferecer. Inscreva-se no Processo Seletivo ENGRENA P&Q. E não esqueça de conferir o Edital. As inscrições vão até dia 16 de junho! Fique ligado!!​

Confira também nosso outros textos:

Game of Thrones: a Arte da Liderença

Coisas Inusitadas que Acontecem na P&Q

 

RELACIONADOS:

Coisas Inusitadas Que Acontecem na P&Q

COISAS INUSITADAS QUE ACONTECEM NA P&Q

Mais uma reunião? Outra viagem com a empresa? Fim de semana também? Mas o que você faz mesmo lá? Trabalha sem receber salário?​

Empresário júnior escuta essas perguntas todo dia, respira e então responde um “sim” com orgulho!

 

Por que não se orgulhar de viver hoje o que muitas pessoas sonham em viver depois da faculdade? De, ainda dentro da graduação, ter a experiência de participar e liderar uma equipe, entregando soluções para o mercado? De encontrar um propósito pelo qual valha a pena acordar cedo todo dia para dar seu melhor no trabalho? De impactar a universidade, o mercado, o Brasil, e até mesmo, o mundo?

​Esses são só alguns dos porquês que fazem a roda do Movimento Empresa Júnior e a engrenagem da P&Q girarem.

​Mas hoje viemos aqui falar não do MEJ em si (vale dar uma conferida no assunto aqui) mas de nós, P&Q Engenharia Jr., ou Família P&Q, como nós chamamos!

​Primeiro, vamos contar um pouquinho da nossa história para vocês mergulharem mais ainda no nosso universo…

​A P&Q nasceu há quase 7 anos, no dia 15 de julho de 2010 reunindo alunos dos cursos das Engenharias de Petróleo e Química da UFF e foi a pioneira na área dentro da faculdade. Já em 2015, nos federamos à RioJunior, a Federação das Empresas Juniores do estado do Rio de Janeiro, mais conhecida como #caldeirão, ganhamos representatividade no MEJ brasileiro frente à Brasil Júnior (Confederação Brasileira das Empresas Juniores) e nos integramos cada vez mais no movimento.​

Vivemos ano passado um momento incrível, com crescimento de 1200% no número de projetos e 570% no faturamento de 2015 para 2016. Abraçamos os cursos de Química Industrial e Bacharelado oi sumidos! e mais importante ainda: todos os membros dessa família vestem a camisa e levam na alma os valores, missão e visão da empresa.​

Em 2017, já alcançamos o Alto Crescimento. Nosso número de projetos dobrou de 2016 para esse ano, até agora, e conquistamos o maior faturamento da nossa história. A P&Q está mais madura, reconhecida, profissional, e, continuando sempre nesse caminho, em 2018 seremos referência nas áreas de Petróleo e Química por todo o Brasil.

 

A cada projeto realizado, a cada membro efetivado e cliente impactado, a história da empresa vai sendo escrita, transformada e moldada para ser contada de maneira a mudar a visão das pessoas e mostrar a diferença que pode-se fazer para criar um Brasil mais empreendedor.

Mas é claro que em meio a tanta coisa, certos momentos curiosos não deixaram de aparecer e marcar profundamente a tradição oral da empresa (pela primeira vez agora escrita!). É exatamente sobre isso que viemos falar hoje!​

Somado aos momentos de seriedade e profissionalismo, são encontrados relatos engraçados e inusitados, que habitam em nosso ambiente de trabalho e fazem os dias serem mais leves e prazerosos.​

Veja aqui algumas das situações mais fora de série que já aconteceram na P&Q.

 

Plantão e Sala da empresa

Horários de plantão são momentos ótimos para colocar em dia os trabalhos, terminar de revisar propostas, desfrutar de um bom momento coworking e até mesmo atender o telefone:​

(O telefone toca)

 

– “P&Q Engenharia Jr., bom dia.”

– “Bom dia, Júnior, pode me dar uma informação?”

O que acontece na realidade é que todos os membros da empresa são chamados de Júnior #somostodosjúnior!

​Há membros que aproveitam seu horário de plantão para atualizar documentos, outros para tomarem um café e adiantarem suas prospecções, alguns recebem clientes para reunião, mas há um membro em especial que viveu uma situação bem diferente de todas:​

“Bom, eu estava fazendo meu horário de sala normalmente e o telefone tocou. Quando atendi, o cliente começou a falar de um produto que pouquíssimas pessoas cultivavam pelo método dele e gostaria de saber como a P&Q poderia ajudar.

​Logo pensei: ‘Óbvio que é uma rotulagem nutricional’, indiquei o serviço e disse que em breve entraríamos em contato. Ele perguntou onde ficávamos e como era o horário comercial, passei as informações e desligamos. Nunca imaginaria que em poucos minutos, ainda no meu plantão, cliente chegaria na sala com as amostras em um pote. E o melhor, me oferecendo para experimentá-las!. Como a gente faz tudo pra agradar o cliente, comi.

​Após essa experiência diferente e delicada, falei que seria ideal que pegássemos as amostras outro dia já que não tínhamos como manter resfriadas e ele foi embora. (Depois o pessoal de projetos identificou que não se tratava de uma rotulagem nutricional, e sim de uma análise química!).”​

Com isso em mente, caso alguém te diga que trabalhar em uma empresa faz você cair na rotina, não acredite. Cada dia é uma nova experiência.

Se você entrasse na sala da P&Q há uma semana, encontraria um saco de calcário. A grande dúvida é: o que empresários juniores fazem com calcário no ambiente de trabalho? A resposta está intimamente ligada a algo que falamos anteriormente: Foco no cliente!

“O cliente chegou na nossa sala com um saco de calcário enorme, de uns 30 kg pedindo uma análise química. Realizamos todos procedimentos, mas depois disso o cliente simplesmente desapareceu.”​

E não vamos nem dizer que foi sem deixar rastros, pois o saco de calcário acabou virando marca registrada da sala da empresa.

 

A emoção acontece do lado de fora também

Assim como um pai comemora as conquistas de seus filhos, desde o primeiro passo até a entrada na universidade, nossa Família torce e celebra com todas as vitórias, grandes ou pequenas.

​Realizar um projeto é sempre algo muito desafiador e a cada dia novos obstáculos surgem e são superados com um leve desespero excelência. Um ex-membro conta um pouco do sentimento que um de seus trabalhos proporcionou.​

“Numa das nossas primeiras análises de potabilidade, eu estava como coordenador comercial por ter feito o contato com o cliente através da Francyane, nossa fundadora.​

Me lembro que esse projeto deu tanta dor de cabeça, tanta coisa errada, o cliente falar que ora tinha amostra a mais, ora a menos que quando terminou e saímos da apresentação do resultado, o coordenador financeiro tirou a camisa e saiu pulando e gritando ‘ACABOU!!!’ pela rua! Foi um dos momentos mais engraçados da minha trajetória na P&Q.”

 

Nossos limites estão sempre sendo testados e cada dia mais, em nome da Busca pela Excelência, nos superamos e enfrentamos situações cada vez mais complicadas. Complicadas e de vez em quando um tanto curiosas. Segue um spoiler: é preciso muita garra e confiança para se comprometer de verdade com essa Família, haja paciência.

​“Um episódio inusitado aconteceu num treinamento do qual eu era o responsável e tínhamos que agendar uma sala para fazê-lo, mas quase nenhum prédio do campus de Engenharia tinha salas disponíveis.​

Foi quando tive a brilhante ideia de ir na arquitetura e acabei tomando um puxão de orelha de uma professora do curso, dizendo que empresa júnior devia ser ILEGAL, e que eu deveria sair desse ‘negócio de P&Q, que isso é um perigo para a sociedade’ e eu pensei ‘OK, né’, o que mais eu podia fazer?! ”.

Até quando você sai de casa achando que vai apenas concluir mais um dia de pesquisa de mercado, coisas inesperadas podem acontecer. Quem já foi coletar questionários na rua e foi chamado para entrar num partido político e vir como candidato? Ou acabou em um evento fazendo exame de glicose, medindo a pressão, fazendo quase um check up completo, mas claro, realizando o projeto com felicidade e Acabativa?

 

 

Comemorar? Só se for do nosso jeito

A verdade é que quando você ama o que faz e está alinhado com objetivo e propósito do movimento como um todo, até eventos obrigatórios se tornam integrativos. Nessas horas muitas vezes a empolgação domina e o que acontece é o seguinte…

​“Momento de nomeação do ranking P&Q na última assembleia de 2016 e eu tinha sido um dos três primeiros lugares. Além de comemorarmos por esse motivo, tivemos as metas batidas (é todo dia, é todo dia ♪) com os projetos fechados e combinamos com a Diretoria de fazer uma surpresinha, para levantar o astral de todos.​

Saímos, eu e os outros dois primeiros lugares do ranking, no meio do evento discretamente para pegar uma garrafa de Chandon para estourar em clima de comemoração.​

A surpresa já foi um pouco quebrada logo na entrada porque usamos a porta errada, mas todos se animaram ao nos ver. Olhei para o pessoal e ninguém se manifestou para abrir a garrafa, então tomei a iniciativa (apesar de nunca ter aberto um garrafa de champagne) e fui.​

O problema era que eu não sabia muito o que estava fazendo e o que aconteceu depois de algumas tentativas foi a rolha da garrafa explodir bem forte e amassar o teto, deixando a todos chocados por alguns minutos. Mas o que rendeu para depois foi mais uma história engraçada e muitas risadas.”

 

Quem disse que as cerimônias na P&Q não têm sua elegância?

“Sabe como recebi a diretoria de projetos para 2015? O antigo diretor pegou um martelo como se fosse uma espada, igual na Era Medieval, bateu em mim no ombro depois no outro, como se ele fosse a rainha da Inglaterra me concedendo uma condecoração.”

 

Pensou que não teria SN tecnológica?

O conceito de seleção natural” para a firma (carinhosamente apelidado de SN) são aquelas gafes públicas como mandar e-mail dizendo “segue anexo” sem anexo algum e é óbvio que elas merecem ser contadas quem deixa passar é catraca!​

Para que nossa comunicação seja mais efetiva, utilizamos além do e-mail, alguns grupos estratégicos no Whatsapp. Mas é claro que ainda falta um treinamento de administração e gerenciamento de grupos da P&Q no Whatsapp, porque a maioria dos membros sente mais dificuldade com isso do que virar a cafeteira para o lado certo na hora de decidir a temperatura da bebida. (Sim, acontece de tomarmos café gelado e ice tea fervendo!).​

Obviamente o ser humano não é perfeito, mas o importante é reconhecer que errou antes que o coleguinha, para (tentar em vão) não ser alvo dessa gente que não perdoa!

 

Não basta somente errar uma vez:

Mas duas, uma em cima da outra:

Ou quem sabe mandar o link errado:

Ou quem sabe mandar o link errado:

Essas são apenas algumas histórias de muitas dentro da P&Q, que finalmente se encontram escritas para vocês que estão lendo nos conhecerem mais um pouquinho! Para quem ainda duvidava que não tínhamos o que contar… ledo engano.

​A P&Q é sim trabalho, é família, é aprendizado, é propósito e ainda de bônus é um show dos melhores momentos inusitados que se pode ter!

Gostou da nossa família? Pensa em fazer parte? Existem algumas maneiras de nos ajudar a continuar contando a nossa história:​

Se você é nosso cliente, é sim da família. É fruto do que fazemos com amor, é nosso filho.

​Se você é nosso leitor, é quem nos dá ouvidos e suporte para continuar, é um dos nossos parentes mais importantes, que nos faz crescer. Para estar sempre dentro do nosso desenvolvimento, confira nossa página que toda quarta às 20h30 traz conteúdos interessantíssimos, ou se inscreva na nossa Newsletter pelo blog!​

Se você é aluno de Química Industrial, Química, Engenharia de Petróleo ou Engenharia Química na UFF, já é parte da família também. É apenas aquele primo distante que vai finalmente se mudar para nossa cidade.​

Para vocês temos nada mais, nada menos do que o melhor processo seletivo da face da Terra, o Engrena! Sempre surpreendendo e com muito a ensinar a todos que participam, essa pode ser sua porta de entrada para a nossa família! E aí, você aceita esse desafio também?​

Então acelere essa mudança e venha conhecer de perto, ao vivo e em cores a Família P&Q!

 

RELACIONADOS:

Mandar no WhatsApp
Dúvidas? Entre em contato conosco!