Mercado de Alimentos: do Planejamento ao Cultivo de um Negócio

Você possui um negócio alimentício recente? Pretende embarcar nessa jornada? Está passando por dificuldades para manter o seu negócio? Em qualquer uma dessas situações, é preciso entender o quão desafiadora essa trajetória será! É necessário ter persistência, cuidado aos detalhes e a capacidade de se reinventar para alcançar sucesso! Vamos entender agora como funciona todo esse processo no setor de alimentos.


A base de todo negócio é o planejamento. Se você pretende começar a investir em um empreendimento, vá devagar, conte com estudos sobre a área de atuação e também com testes.



Como decidir o foco do negócio?



De fato, ter um foco é super importante para atrair clientes. Não é preciso, por exemplo, vender apenas comida japonesa, mas ter em mente que seu negócio tem como foco esse tipo de alimento faz com que o público o diferencie dos concorrentes. Eu posso, sim, fazer comida japonesa e possuir opções da culinária de outras regiões. Porém, o diferencial e prato principal será a própria comida japonesa.


Afinal, é muito importante estar ligado com o mercado da área. Seguindo a lógica anterior, todos nós sabemos que o aumento de consumidores de comida japonesa é crescente. Em um primeiro momento, iniciar um negócio nessa área é o ideal. Mas e se a região possuir muitos restaurantes japoneses? Não podemos esquecer de analisar o mercado local e os próprios futuros concorrentes.



E se você, mesmo que ainda não saiba, não tem aptidão com esse estilo?



Antes de decidir abrir um estabelecimento e investir grande quantidade de dinheiro, é uma ótima ideia começar com um modelo de negócio menor, que não inclui os aspectos técnicos e grande envolvimento com legislação, locação de um estabelecimento e manutenção de muitos funcionários e grandes contas.





É possível começar com produção e venda em pequena escala, com produção caseira e venda local. Dessa forma, pode-se analisar a viabilidade do seu negócio e adquirir alguma experiência em gestão para minimizar os riscos.


Você também descobrirá se possui afinidade com a área. Esse pequeno investimento trará um maior conhecimento e mostrará o quão essencial é colocar a mão na massa. O dono do negócio tem que estar por dentro de todas as etapas que envolvem seu produto. Assim, é possível saber o que melhorar, como dimensionar a quantidade de insumos e controlar as despesas, por exemplo.


Além disso, saiba separar as finanças pessoais das finanças da empresa. Você pode estipular um salário para você, por exemplo, ou ainda trabalhar com porcentagem, mas tudo deve ser proporcional ao desenvolvimento da empresa.


Para dar o próximo passo, é necessário conhecer todos os procedimentos legais e jurídicos que você vai precisar, como legislação trabalhista, tributária, licenças e autorizações, como do corpo de bombeiros e vigilância sanitária.


De acordo com os consultores da área alimentícia da P&Q Engenharia Jr., a burocracia envolvida com a abertura de uma empresa é o que mais perturba e toma tempo dos novos empreendedores, então, organize-se e faça suas pesquisas para ter tudo sobre controle desde já!


Juntamente a esses procedimentos, é importante pensar no local, na visibilidade, no marketing, nos funcionários e no mercado. Não se esqueça da previsão financeira, cálculos dos gastos e previsão de faturamento para fugir de grandes prejuízos. Segundo dados da SEBRAE, os dois primeiros anos é o período de maior mortalidade das micro e pequenas empresas. Tenha capital de giro suficiente para garantir a saúde de seu negócio.


Conhecimento e experiência em gestão são certamente essenciais. Entretanto, de acordo com o que a especialista em marketing e atuante da área de negócios Filomena Garcia diz em uma coluna na sessão de economia do site UOL, ter dedicação, organização e atenção aos detalhes e outras características comportamentais “falarão tão ou mais alto que as características técnicas do negócio”.





Agora, não se esqueça do quanto é imprescindível mostrar valor aos clientes! Por que seu produto é o melhor? Por que ele deve ser escolhido ao invés de outro? Ele não precisa ser exclusivo, você pode inovar na qualidade, no marketing, no bom atendimento por parte dos seus funcionários, pelo ambiente agradável… Tudo deve ser estratégico e feito da forma mais atenciosa possível.


Pensar nas tendências de mercado é crucial para estar à frente dos concorrentes. O contexto atual deve ser analisado com atenção para iniciar um negócio e também para mantê-lo em funcionamento. A sustentabilidade é um tema comum não apenas entre ambientalistas, mas também está diretamente relacionado com o setor de alimentos.



Sustentabilidade: uma tendência do mercado alimentício



A preocupação com o futuro do setor de alimentação fez com que eventos fossem produzidos para tomar uma providência a fim de fazer com que a indústria de alimentos gerasse menos danos.


Em maio de 2017, a Hello Tomorrow, organização sem fins lucrativos, foi quem produziu um desses eventos. No evento, além das discussões a respeito da indústria de alimentos, foi feita uma competição com as melhores ideias de empreendimento sustentável.


O ganhador da competição foi a CBA Sementes, a qual conseguiu um novo jeito de produzir semente de batatas por uma técnica chamada de aeroponia. A técnica reduz o consumo de água em 98% e não precisa de terra na produção.


Esse caso é apenas um exemplo para ilustrar o que pode ser feito tanto em um negócio a ser iniciado, quanto um já existente. Pensar em inovação e nas tendências de mercado é muito importante.


Inovar em produtos sustentáveis é uma ótima opção atualmente. Se antes as pessoas apenas consumiam o que está dentro das embalagens, não é o que acontece hoje. A composição, o modo de fazer e a origem dos alimentos estão chamando a atenção dos consumidores.


Além da preocupação com o planeta, a procura por alimentos saudáveis é crescente no Brasil (média de 12,3% ao ano) por causa da saúde dos consumidores. Com a mudança de mentalidade da população, os alimentos orgânicos, naturais e sem aditivos químicos vem chamando a atenção dos empreendedores também.


Como já citamos, não se esqueça da necessidade da persistência e resiliência. A ansiedade é um fator constante que vai te perseguir, mas não exija resultados extraordinários antes da hora. Todo negócio possui suas etapas de estruturação e amadurecimento. Grandes empresas levam tempo para ganhar reconhecimento.


Agora que foi possível entender como funciona o processo de estruturação de um negócio no setor alimentício, ficou mais fácil colocar em prática. O diagrama abaixo ilustra pontos importantes resumidos que foram contextualizados.





​Gostou do texto? Então assine a nossa Newsletter e receba o nossos textos diretamente no seu e-mail!

Related posts:

One thought on “Mercado de Alimentos: do Planejamento ao Cultivo de um Negócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *