Formulação de Produtos – Alcance novos nichos e oportunidades

A Formulação de Produtos e evolução de já existentes, alcançando novos nichos e oportunidades de crescimento é essencial para impulsionar um negócio, ou tirar uma ideia empreendedora do papel. E, para garantir o sucesso na elaboração, diversos fatores devem ser analisados e estudados durante o processo de inovação.

Um dos fatores de extrema importância é o estudo de viabilidade, que possui o intuito de analisar se o produto a ser formulado enquadra-se nos critérios mercadológicos e laboratoriais. Inclui-se também a viabilidade econômica, que é essencial para garantir o sucesso do produto.

Por que inovar?

A inovação é um processo pelo qual há implantação de novas ideias que, quando apropriadas, são capazes de agregar valor a um produto. Isto está relacionado com o desenvolvimento ou com o aperfeiçoamento de produtos já existentes.

Inovar é necessário, pois seu principal objetivo é fomentar, aprimorar e manter a participação de uma empresa em um determinado nicho mercadológico, visando, sobretudo, a atender a demanda do cliente.

Segundo Santiago Gonzales, um dos fundadores do Laboratório de Inovação de Impacto Lab4D, “quanto mais se inova, maior a chance de se ter um bom retorno”. A partir disso, garantir um lugar no mercado e se manter atualizado acerca de suas mudanças é essencial para assegurar que o negócio permaneça bem sucedido.

Neste viés, a Formulação de Produtos apresenta um destaque, quando relacionada ao crescimento e ao desenvolvimento da empresa, devido à produção com qualidade e autenticidade, sempre inovando.

Por que desenvolver um produto inédito?

Considerando o contexto mercadológico Neoliberalista atual, no qual existe uma competição por qualidade de produtos entre marcas diferentes. Aliado à exigência elevada do consumidor moderno, muito influenciada pela evolução do Capitalismo, é de extrema importância garantir que seu produto seja único.

Produtos inéditos são aqueles que impactam os hábitos dos consumidores, oferecendo vantagens ou recursos que possibilitam o usuário a realizar tarefas de uma forma mais eficiente ou simplificada. Portanto, ao desenvolver algo único, está se introduzindo melhores opções ao cliente, o que reflete em lucros significativos para a companhia.

Por que modificar um produto já existente?

Por falta de conhecimento e de estudo de mercado, muitas empresas acabam não obtendo uma boa aceitação de seu produto ou serviço. Tanto o entendimento quanto o estudo de mercado estão diretamente relacionados ao processo de inovação, uma vez que inovar dá-se através de um trabalho em equipe. Deve-se estar aberto à cultura e, sobretudo às tendências que o mercado apresenta, o que inclui a aplicação de conhecimento que vise ao futuro e aos produtos e serviços excepcionais.

Ser inovador, em sua essência, é saber o motivo pelo qual está se elaborando um produto. Por isso, ao analisar o mercado, traçar e assimilar o motivo de sua oferta é, em muitos casos, compreender que é necessário modificar algo já existente.

O estudo de viabilidade tanto econômica quanto mercadológica é primordial para o entendimento de que, se aperfeiçoado ou incrementado, um certo produto obterá uma melhor aceitação em seu nicho e, consequentemente, um melhor desempenho.

Etapas da formulação de produtos

Com o intuito de tornar a ideia realidade, o serviço de formulação de produtos exige um constante e extenso contato com o cliente. Para que assim o pensamento inovador do cliente esteja alinhado com o parecer da equipe do projeto. Busca-se compreender o objetivo principal da formulação, para garantir que o invento esteja em conformidade com seus desejos.

A formulação é realizada em três etapas, sendo as duas primeiras fases de estudo de viabilidade e a última a execução técnica da formulação.

O estudo de viabilidade é subdivido em duas etapas, o estudo de viabilidade de execução, e o estudo de viabilidade econômica. Essas consultorias serão indispensáveis para o andamento e realização do projeto. É essencial compreender se a formulação e desenvolvimento do produto se adequam às normativas brasileiras e se seriam lucrativos, antes de formular efetivamente o produto.

O primeiro passo do projeto é o máximo de compartilhamento de ideias entre o cliente e a equipe do projeto. Pois um diagnóstico preciso e completo acerca da ideia principal é de extrema importância para as seguintes etapas serem bem sucedidas. Deve ser discutido então o principal propósito da formulação, o que é almejado, qual falha deseja corrigir ou qual aperfeiçoamento quer atingir com a mudança.

Em seguida, é feito o Estudo de Viabilidade Econômica. Neste, analisam-se aspectos financeiros do projeto, avaliando se o custo benefício do produto será lucrativo para o cliente, e se sua produção será financeiramente viável. São analisados custos com patentes e com a produção, assim como verifica-se gastos fixos, gastos variáveis e impostos necessários para a produção. Concomitantemente, é feito também o Estudo de Viabilidade de Formulação. O qual tem o intuito de analisar fatores que possam vir a inviabilizar a execução do projeto. A viabilidade da formulação é feita para confirmar se existe possibilidade de desenvolver este produto no Brasil e para analisar quais metodologias podem ser aplicadas. São analisadas problemáticas como disponibilidade e fornecimento de matérias primas, legislações e resoluções, e estatísticas mercadológicas.

A partir de todas as análises feitas, é possível determinar se a formulação do produto é factível e realista. Caso haja algum fator decisivo que torne o processo inviável ou não lucrativo, é necessário então rever características ou atributos do produto.

Caso a resposta seja positiva, inicia-se a etapa de execução. Desta forma, a partir de todos os estudos e insumos recolhidos, serão realizados os testes laboratoriais necessários até atingir o interesse do cliente. Obtém-se então, uma fórmula com qualidade e atributos desejados, e embasado em estudos mercadológicos, e laboratoriais, de acordo com as especificações iniciais do projeto.

 Formulação de produtos alimentícios

O faturamento da indústria brasileira de alimentos cresceu 6,7% em 2019, segundo o G1. Com este alto crescimento da indústria alimentícia, a busca por um diferencial se torna crucial para o sucesso neste setor, e por isso, a formulação de alimentos é indicada. Esta formulação consiste no aprimoramento ou na criação de um alimento.

A  primeira etapa da formulação de produtos alimentícios segue a etapa da formulação de produtos, que é o Estudo de Viabilidade.

As próximas etapas dependem muito do que o cliente deseja, mas as principais etapas normalmente são: análise centesimal e análise com aditivos químicos. A análise centesimal é realizada quando o cliente tem como intuito compreender melhor algum composto específico. E já a análise com aditivos químicos, é realizada quando o intuito é aumentar a validade, deixar o composto mais macio, mudar o aroma e entre outros.

Além dessas análises, caso o fabricante de alimentos deseje, outras também podem ser realizadas, como por exemplo, analisar as propriedades sensoriais e nutricionais, a segurança alimentar, a elaboração de produtos funcionais e mais saudáveis, o frescor, a praticidade e entre outras possibilidades.

Após essas etapas, é de fato realizado a formulação do alimento através da criação de protótipos em um laboratório. Para garantir a qualidade e segurança do alimento, alguns testes devem ser efetuados seguindo as normas da ANVISA, que estabelece os padrões microbiológicos que devem ser respeitados e seguidos rigorosamente na formulação, para que assim, a combinação de todos atributos desejados, como os efeitos dos ingredientes, da influência dos parâmetros, dos métodos de conservação empregados e da embalagem utilizada, resulte no produto ideal para o propósito daquela formulação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *