O Mundo em Constante Movimento: Conheça os mais variados tipos de Combustíveis!


Todos sabemos que o mundo moderno é movido por descobertas e invenções, mais dinâmicas e bem elaboradas, de maneira a nos impressionar cada vez mais. Sabemos também que, para o acontecimento de tais descobertas e invenções, é necessário algo responsável pela propulsão: o combustível.

Mas você conhece os tipos de combustíveis que movem todo esse progresso e que tornam capazes as evoluções científicas e tecnológicas?

Um pouco de História:

Acredita-se que o pioneiro no uso de combustível foi o Homo erectus, utilizando de gravetos para combustão, há cerca de dois milhões de anos atrás. É constatado, portanto, que a fonte de energia mais antiga a ser utilizada teria sido a madeira. A partir dessa conjuntura, por muito tempo, o uso de plantas e gorduras animais foram os principais combustíveis para os seres humanos.

Em tempos da Primeira Revolução Industrial, com a necessidade de fontes de energia capazes de suprir toda a demanda produtiva nunca antes vista, a história dos combustíveis sofreu uma importante mudança. O uso de carvão mineral se tornou imprescindível para a evolução do mercado e a produção em larga escala.

Já no século XIX, iniciava-se a exploração comercial de poços de óleo nos Estados Unidos, sendo esse óleo destilado e utilizado como produtos para substituir o óleo de baleia, por exemplo. Esse Petróleo que sofria destilação era utilizado então para fins de iluminação, na maioria das vezes. Tal acontecimento marcava o início da era do Petróleo.

Com a criação de automóveis movidos por motores a gasolina e diesel, derivados até então desprezados no ato da destilação começaram a ser utilizados para tal finalidade. Chegando ao século XX, onde a popularização dos automóveis já era nítida, os combustíveis fósseis ocuparam um posto de importância absurdo, ao ponto de serem necessários em escala internacional.

Em meados da década de 1940, com o desenvolvimento da física, foi possível a evolução da tecnologia nuclear. Sabe-se que essa fonte de energia é extremamente poderosa, visto sua capacidade energética. No entanto, até os dias atuais é discutida a periculosidade de tal energia com relação à questões ambientais.

Diante de tantos acontecimentos históricos, entende-se que a busca por combustíveis mais eficientes e a importância dos próprios são a fórmula do desenvolvimento para o Mundo atual.

O que é um combustível?

Combustível é uma substância que, ao reagir com um comburente, libera energia, na maioria das vezes em forma de calor. Tal reação é denominada como combustão.

  • São exemplos de combustíveis: gasolina, álcool, diesel, madeira, carvão.

  • São exemplos de comburentes: na maioria dos casos o oxigênio, mas existem situações isoladas onde outra substância pode vir a ser um comburente, como por exemplo, o cloro.

Classificação dos Combustíveis:

Combustíveis não renováveis:

Os combustíveis não renováveis são aqueles providos da natureza e com quantidade limitada na mesma.

Os combustíveis fósseis são os maiores exemplos de combustíveis não renováveis.

Combustíveis renováveis:

Os combustíveis renováveis são aqueles, assim como os não renováveis, providos da natureza, porém são reabastecidos pela mesma.

O etanol e a biomassa (responsável pelos biocombustíveis) são grandes exemplos de combustíveis renováveis.

Combustíveis Fósseis:

O petróleo, responsável pela produção da maioria dos combustíveis fósseis, é constituído por uma mistura de compostos químicos orgânicos. A partir dessa constituição, caso a mistura apresente um número maior de moléculas com cadeias pequenas, consequentemente com menos carbonos, seu estado físico provavelmente será gasoso.

Caso a mistura apresente um número maior de moléculas grandes, seu estado será líquido. É importante frisar que para todas essas situações, a condição de temperatura e pressão devem ser normais.

Visto como o petróleo se comporta, entende-se que sua mistura apresenta centenas de compostos químicos diferentes, tornando a separação em componentes puros quase que impossível. Sua separação é feita por frações de acordo com a faixa de ebulição dos compostos presentes em determinadas mistura.

Por exemplo, em uma temperatura de ebulição até 40 graus, encontram-se composições entre a faixa de um carbono apenas, até quatro carbonos. Tal fração é utilizada para gás combustível para uso doméstico.

Já em uma temperatura entre 40 graus até 175, encontram-se composições entre a faixa de cinco carbonos até dez. Para essa fração, é dado o nome de gasolina e como destino, combustíveis de automóveis.

O Diesel pode ser dividido em duas classes: gasóleo leve e gasóleo pesado. O gasóleo leve apresenta uma temperatura de ebulição entre 235 graus até 305 graus, tendo composições entre a faixa de treze até dezessete carbonos. Já o gasóleo pesado, apresenta uma faixa de dezoito à vinte e cinco carbonos em sua mistura, com temperatura de ebulição variando entre 305 graus até 400 graus. Ambos são utilizados como combustível para meios de transporte.

Além das frações responsáveis pelo GLP, pela gasolina e pelo Diesel, ainda existem outras que dão origem ao querosene (175 graus até 235 graus) com composições entre a faixa de onze e doze carbonos, lubrificantes (405 graus até 510 graus) e os resíduos (acima de 510 graus).

O Carvão Mineral é outro combustível fóssil muito comum, sua formação se deve pelo soterramento de plantas e sua deposição por um vasto tempo abaixo de diversas camadas terrestres.

Biomassa:

Biomassa é tudo aquilo de origem orgânica, seja vegetal ou animal. Bagaço de cana de açúcar, madeira e óleos vegetais são exemplos de Biomassa utilizados para gerar energia por meio da combustão.

Os biocombustíveis mais comuns são: o biogás, o biodiesel e o bioálcool.

O biogás consiste em uma mistura gasosa composta por metano, gás carbônico e gás sulfídrico em menor quantidade. A produção desse biogás ocorre em qualquer local com ausência de gás oxigênio, sendo esse local isolado ou em aterros sanitários. Tal fonte de energia provém de dejetos e rejeitos de gado, como também de resíduos agrícolas ou certos resíduos industriais (bagaços, efluentes e gorduras).

O biodiesel é resultado da reação química de lipídios, óleos e gorduras, seja de origem animal ou vegetal, com determinado álcool, na presença de um catalisador. Tal reação tem como resultado diferentes tipos de ésteres, que são o biodiesel propriamente dito.

O bioálcool provém de todos os processos de obtenção de etanol, sendo a matéria prima para tal procedimento a celulose, tendo como exemplo o milho e a cana de açúcar. A hidrólise é muito utilizada para quebrar as estruturas moleculares da biomassa utilizada, a fim de transformá-la em açúcares solúveis e passíveis de se tornarem etanol, com o auxílio de microrganismos.

A utilização correta da Biomassa não interfere na composição média da atmosfera, uma vez que sua renovação se dá a partir do ciclo do carbono. Nesse sentido, a queima dos compostos orgânicos tem como produto o gás carbônico para a atmosfera. Os seres fotossintetizantes capturam tal gás para a realização da fotossíntese, essencial no processo de produção de alimentos (glicose): : 6H2O + 6CO2 → 6O2 +C6H12O6.

Gostou do texto? Deixe seu comentário dizendo o que achou de nosso conteúdo! Caso esteja sentindo falta de algo, nos avise para que possamos melhorar ainda mais sua experiência! Continue navegando em nosso Blog para conhecer mais temas interessantes como esse!​


Related posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *