Game of Thrones: A Arte da Liderança

As empresas têm investido cada vez mais em estratégias para preparar os seus futuros líderes e para identificar o seu perfil de liderança, para que eles sejam capazes de conduzir da melhor forma possível a empresa.

Trazendo essa perspectiva para o popular seriado britânico, Game of Thrones, na batalha pelo trono de ferro dos Sete Reinos podemos observar a competição por esse cobiçado posto pelos diferentes perfis de líder. Cada um demonstra as diferentes maneiras de se conduzir um reino (ou no caso uma empresa) e como este perfil impacta diretamente na trajetória que o mesmo terá. Mostraremos mais a seguir sobre esses perfis e seus impactos.

Principais tipos de liderança

Carismático

blog-got-2

A princípio, você pode estar se perguntando “qual a importância do carisma para um líder?“. Para responder essa pergunta, podemos dizer que o relacionamento interpessoal é uma das chaves para se tornar um líder de sucesso.

Um chefe carismático é aquele modelo a ser seguido, ou seja, que lidera por admiração, dando o exemplo e que inspira os demais a sua volta.

Uma das características mais marcantes desse tipo é o seu aspecto comunicador, com sua persuasão natural, sabem usar as palavras para conseguirem alcançar suas metas e objetivos, unindo toda a equipe, muito também pela personalidade atrativa que possuem.

Além disso, sabem ouvir os membros, buscando compreender suas necessidades. Junto a isso, temos a sua habilidade motivadora, sendo altamente entusiasmados, têm facilidade em conversar com a equipe.

Nada como um dos principais e mais aclamadas personagens dessa série para representar esse estilo: Daenerys Targaryen - mãe dos dragões, nascida do fogo, libertadora dos escravos… e todos os outros nomes que vocês devem conhecer.

Uma das preferidas para conquistar o trono de ferro, apesar do seu direito natural para esse feito, foi a que melhor usou sua trajetória para se firmar como uma excepcional liderança, num cenário desfavorável para mulheres.

Construiu sua imagem por meio da sua luta pelo fim do regime escravocrata, onde conquistou admiração e respeito de seus seguidores, garantindo a justiça de todos.

Democrático

blog-got-3

Consegue envolver toda a equipe nas tomadas de decisão. Sabe dividir as responsabilidades e a tarefa de liderança com os demais membros, atingindo um alto nível de produtividade.

É o tipo de líder que sabe ouvir, compreende a importância dos feedbacks frente às decisões que deve tomar e entende o que deve ser feito para alcançar as metas.

Um aspecto positivo de dar ouvidos é que proporciona a criação do sentimento de "dono da empresa". O incentivo que ele dá e a boa comunicação que possui gera admiração e faz com que a equipe se una.

Entretanto, deve saber equilibrar a abertura para diálogo com a objetividade relacionada às metas.

Como exemplo temos um dos mais queridos personagens da série Jon Snow, um personagem admirado e respeitado por todos. Com uma conduta extremamente ética, sempre fundamentando suas decisões.

“Qualquer tolo com sorte pode nascer em meio ao poder, mas conquistá-lo para si dá trabalho.", o caminho até a liderança é longo, e Jon conseguiu se tornar um líder admirado não só pelas suas habilidades de combate e por suas tomadas de decisão, mas por ser um líder que conseguiu envolver grupos distintos, formando uma aliança entre o seu povo e os selvagens.

Autoritário

blog-got-4

Líderes autoritários tendem a valorizar demais a hierarquia e são comprometidos com os resultados e metas. Entretanto, costumam ver seus funcionários como números, deixando de lado o fator humano, não aceitando críticas e impondo suas convicções.

É o tipo de profissional que provoca mais medo que admiração, já que não busca auxiliar os seus funcionários e sim apontar falhas, muitas vezes trabalhando por meio da opressão.

É um estilo que tende a desaparecer, já que gera um sentimento de insatisfação na empresa, visto que os funcionários são tratados como máquinas. Além disso, resulta em pouca identificação e uma grande rotatividade dos membros, prejudicando a competitividade da empresa no mercado.

Um clássico exemplo desse tipo de liderança pode ser encontrado num polêmico personagem da série: Joffrey Baratheon. Que em suas aparições na série demonstrou não só o seu requinte de crueldade, mas também todo autoritarismo que uma pessoa pode impor.

Dentre os melhores ensinamentos dessa série podemos tirar uma das frases proferidas a Joffrey, “Qualquer homem que precisa dizer “eu sou o rei”, não é um verdadeiro rei.”. Que demonstra que os líderes vêm da vontade da maioria, e não por aqueles que se intitulam líderes e impõe seus desejos.[ALERTA DE SPOILER] Ele aprendeu isso da pior forma. (risus)

Sistemático

blog-got-2

Tipo de pessoa que gosta que as coisas sejam feitas da sua maneira, de forma extremamente metódica e sistemática.

Por muitas vezes, por ser muito perfeccionista, fica preso a pequenos detalhes e não transmite confiança na capacidade da equipe de realizar as tarefas exigidas da melhor maneira possível.

Apresenta muita dificuldade no quesito inovação, já que possui um estilo que não dá espaço para a equipe desenvolver sua criatividade e improvisar frente aos desafios impostos pela empresa.

Para representar esse estilo temos Petyr Baelish, popularmente, conhecido como Mindinho.

Vindo de uma casa pequena, passou toda a sua vida em busca de poder e status tentando ascender socialmente. Para isso, se mostrou uma pessoa extremamente sistemática e calculista em seus planos. Ele sabe exatamente o que precisa ser feito para chegar onde deseja.

Liberal

blog-got-3

Concede liberdade para que sua equipe desenvolva suas funções sem uma interferência direta, ou seja, é um líder que não se manifesta muito, deixa as decisões bem abertas. Dando espaço, dessa forma, para os membros criarem e desenvolverem ideias.

Não se impõe frente aos demais, já que entende que seu grupo tem maturidade para realizar as tarefas e não necessita de constantes supervisões. Apesar de ser uma forma de demonstrar confiança nos demais funcionários e de dar autonomia a eles, por vezes pode trazer falta de confiança dos membros no líder pelo mesmo não se mostrar tão presente.

Tende a ser eficaz num círculo de pessoas capacitadas, que só precisam de um direcionamento.

Um grande exemplo desse estilo pode ser visto em Robert Baratheon. Que durante o seu reinado, teve um papel muito mais figurativo do que propriamente de um rei. Dando total liberdade para que seu conselho assumisse o controle do reino.

É um modelo que demonstra todo o cuidado que esse tipo de líder deve ter para que as coisas não fujam do controle e se tornem desastrosas.

Afetivo

blog-got-4

A prioridade está nas pessoas e não nos trabalhos e metas que acabam ficando de lado. Consegue criar um excelente ambiente de trabalho, com uma grande interação entre todos os funcionários, já que acredita que o bom desempenho está diretamente atrelado ao clima de trabalho.

Por estar sempre motivando, auxiliando e tentando evitar ao máximo os confrontos, pode acabar sendo tolerante a determinadas condutas e não dar o devido direcionamento que os membros precisam. Deve buscar seguir um padrão de avaliação para não cair no favoritismo.

Representado na série por Robb Stark, que quando proclamado rei do norte conseguiu criar harmonia num período crítico de conflito.

Demonstrando que “O poder reside onde os homens acreditam que ele está. É um truque, como uma sombra na parede.”. Quando ganhou a confiança dos vassalos e conseguiu uni-los sob seu comando, rumando ao mesmo objetivo.

Meritocrático

blog-got-5

Possui todas as suas decisões fundamentadas na meritocracia, ou seja, sua gestão baseia-se no desempenho do grupo. Dessa forma, ele espelha suas escolhas em cima de fatos, tirando a subjetividade da tomada de decisão.

Esse tipo de chefe monitora os seus subordinados e avalia suas performances por meio de indicadores e metas. O que evita o sentimento de injustiça dentro da empresa e gera confiança nas avaliações.

Sendo assim, gera o reconhecimento dos funcionários, onde os que possuem um bom desempenho são valorizados e os demais recebem um monitoramento e uma atenção especial. É importante esse estilo de líder saber separar a ideia de punição para aqueles que não atingem suas metas, de modo a não gerar desmotivação.

É uma das maneiras mais justas de se conduzir uma equipe, contemplando os membros mais competentes, favorecendo a produtividade individual e do grupo.

Tudo começou com a história de um dos personagens mais adorados: Eddard Stark. Carinhosamente chamado de Ned, ele sempre foi conhecido como uma das pessoas mais justas e leais dos Sete Reinos, ao assumir o cargo de mão do rei (principal conselheiro do rei e executor de seus comandos) não se mostrou diferente.

“O homem que dita a sentença deve brandir a espada“, Ned nunca fugiu de seu posto quando preciso, sempre esteve presente nas principais tomadas de decisão e foi justo com aqueles que mereciam.

Como ser um bom líder?

Você realmente sabe como ser um bom líder? Ser um bom líder vai muito além de obter bons resultados ao final do mês. O líder é o encarregado de comandar e guiar a equipe, mas para isso é necessário que ele domine algumas habilidades.

“A maior habilidade de um líder é desenvolver habilidades extraordinárias em pessoas comuns”. (Abraham Lincoln)

Lidere pelo exemplo

O líder está constantemente sendo observado, por isso deve ser um exemplo de excelência para todos ao seu redor.

Sendo o mais visado da equipe, ele não pode desviar de suas responsabilidades. Logo, não pode exigir dos outros aquilo que ele mesmo não faz.

Postura, atitudes diárias, responsabilidade apresentadas são o que fazem com que ele seja admirado e consiga exercer bem a sua função ajudando a sua equipe a se desenvolver.

Tal fato ganha vida numa das frases mais famosas dessa série “Um Lannister sempre paga suas dívidas”. Aquele que não cumpre com suas responsabilidades perde credibilidade, as palavras são armas poderosas e devem ser proferidas com sabedoria.

Honestidade

A admiração é uma das marcas de uma boa liderança. Para que isso ocorra, o líder deve liderar pelo exemplo, começando pela sua transparência.

A transparência é a base para um relacionamento de confiança, informações vagas e incompletas abrem espaço para rumores, minando o convívio entre a equipe, afetando diretamente o seu desempenho.

Chefes mais honestos e abertos facilitam o trabalho dentro da empresa. Sendo assim, os funcionários também devem ser incentivados a serem transparentes, para melhorar não só o ambiente de trabalho mas também os resultados.

A transparência é imortalizada numa das frases mais impactantes de Tyrion Lannister, no primeiro livro da série Nunca esqueça quem você é, o resto do mundo não vai esquecer. Vista isso como armadura, e isso nunca poderá ser usado para o machucar”. Ela mostra que a honestidade não só com os outros mas consigo mesmo é o primeiro passo para uma relacionamento de confiança.

Comunicação

A comunicação pode ser o divisor de águas entre a reprovação e o sucesso na liderança de uma equipe. Porém, essa habilidade vai muito além da competência de se comunicar facilmente com as pessoas.

Para obter êxito nessa função, além de saber se relacionar com qualquer tipo de pessoas, desde colegas de trabalho a clientes, o bom líder deve estar sempre acessível, além de saber ouvir e filtrar comentários.

Ele deve não só garantir que as tarefas estejam sendo cumpridas, mas ser um agente motivador, buscando sempre mais da sua equipe com sua capacidade de persuasão.

Game of Thrones possui diversos ensinamentos sobre liderança e não poderia ser diferente com esse tópico. “Um líder deve aprender que palavras conquistam coisas que muitas espadas não conseguem”, realçando que a comunicação assume um papel crucial na luta para o sucesso e que a palavra é na verdade uma poderosa arma

Incentive

Incentive no lugar de comandar. Aquele chefe que só dá ordens é a representação de um chefe autoritário, que não consegue unir o seu grupo. Ao incentivar, você não só melhora o ambiente de trabalho, mas também aumenta a satisfação e produtividade dos membros.

Além disso, delegar tarefas é essencial. Todo bom líder sabe da importância de se confiar na sua equipe, o que aumenta a confiança da equipe no chefe e neles mesmos, gerando uma relação de confiança mútua.

Trazendo para a realidade de Game of Thrones podemos entender isso como um “não se acomode”, até porque o inverno está chegando. Logo, isso indica que toda equipe precisa estar motivada e preparada para enfrentar as adversidades do inverno.

“A mente precisa de livros assim como a espada precisa da pedra de amolar para ficar afiada”, incentive e prepare sua equipe com o que ela necessita (quer melhor incentivo que um bando de caminhantes brancos vindo na sua direção?).

Desafiar a equipe

Como já vimos, o líder deve transmitir confiança para os membros da equipe. Eles devem conhecer os problemas da empresa em que trabalham e o perfil de cada funcionário, para saber como explorar a capacidade de cada um deles.

Mais precisamente eles devem desafiar a equipe a pensar, a buscar sempre mais, sabendo exatamente o que cada indivíduo pode produzir dentro da empresa. Ou seja, devem fazer com que seus assessores se sintam confortáveis para evoluir.

Grandes líderes surgem em períodos de crise. Materializado pela fala “O caos não é uma cova, é uma escada”, a série nos ensina, que aqueles que não temem sair de sua zona de conforto, tendem a fortalecer a sua imagem e ganhar, mesmo em tempos de caos.

Dê feedback

Quem não gosta de ter seu trabalho reconhecido? Um líder que dá feedbacks, motivando e elogiando seu grupo, auxilia no bom desempenho da equipe e consolida-se em sua função.

Até mesmo por meio de feedbacks construtivos, ele se mostra uma pessoa interessada e preocupada com aqueles ao seu redor.

Além disso, saber ouvir é essencial porque também indica que se preocupa com os membros e que confia neles.

Como diria Syrio Forel para Arya “Cada contusão é uma lição. Cada lição nos faz melhor”. Mais precisamente essa frase nos mostra que estamos num constante processo de aprendizado e que sejam contusões, críticas ou elogios, eles serão sempre bem-vindos.

Lidere pessoas

Perceber que você está lidando com pessoas é essencial para todo chefe. Pode até parecer a mesma coisa num primeiro momento, mas gestão e liderança são coisas bem diferentes. Deve-se gerenciar coisas e liderar pessoas.

Os funcionários não devem ser vistos apenas como números, metas do final do mês, antes de tudo eles são pessoas, sendo assim, o relacionamento deve ser pautado com base na confiança.

Para finalizar com chave de ouro, temos aqui um dos ensinamentos deixados por Tywin Lannister É o nome de família que perdura. É tudo o que permanece. Não é sua glória pessoal, não é a sua honra... mas a família”.

Essa frase nos mostra que no final o que importa é a empresa, são as pessoas. Independente dos números conquistados por você no final do mês, isso não é o mais importante.

E aí, gostou do texto?

Fique ligado no conteúdo do nosso blog para saber mais!

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER!

Receba nossos conteúdos exclusivos no seu email!

Related posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *